DESTAQUE

COMERCIANTES DO CAOS – PARTE UM

Biografia: Gud, o contundente produtor sueco



Carl-Mikael Göran “Micke” Berlander (nascido em 29 de Agosto de 1995), conhecido como Yung Gud ou Gud, é um DJ e produtor sueco conhecido por ser um dos membros do grupo de Stockholm, Sad Boys com o repper Yung Lean. Sendo influenciado pela musica do “left-field”, ele começou a produzir aos 12 anos de idade, primeiro fazendo músicas trance psicodélicas, mas logo migrou para o hip hop. Ele não foi bem na escola e prosseguiu uma carreira na música antes de se formar. Sua produção ao lado dos Sad Boys para a música de Yung Lean foi bem recebida.


Vida pessoal

Berlander é parte de uma família de raça mista, já que seu avô nigeriano conheceu sua avó sueca em Londres. Ele disse que sua identidade de sua raça mista fez sentir como se ele estivesse “numa pequena ilha”. Após o divórcio de seus pais quando ele tinha dez anos, seu pai e sua irmã mais velha se mudaram para um subúrbio de Estocolmo, diferente de onde ele estava morando na época. Berlander, bem como os outros membros do grupo Sad Boys, descreveram que viver em Estocolmo era “chato” e “insípido”. Enquanto ele residia na cidade durante a maior parte de sua vida, Berlander já havia morado em uma pequena área urbana chamada Gnesta, que ele opinava ser uma comparação sueca a Kentucky: “Pessoas estúpidas e alcoólicas, eu não sei. Isso é uma porcaria lá. É tão chato.” Ele disse que sua mãe “gostava de mimá-lo”. Ele não foi bem na escola, então, investiu na carreira de música, e seu pai sempre foi misturado com essa decisão; ele sempre o incentivou a “simplesmente ir para a escola e ser uma boa pessoa”, dizendo que “você não pode fazer música sem instrumento”.


Sad Boys

Yung Gud descreveu como ele conheceu Yung Lean: “Minha amiga estava conversando seu amigo [Lean] no momento. E ela o apresentou ao meu amigo e a mim, e basicamente foi assim que eu o conheci. Nós bebemos um pouco de cerveja em um parque e eu disse à ele: “Nós gostamos da mesma música, devemos fazer algo juntos qualquer dia desses”. Os dois sempre pensaram em criar algo juntos, mas os dois não fizeram nada até Outubro de 2012, dropando a faixa “Oreomilkshake”: “Eu acho que estávamos bêbados em seu porão, daí fizemos “Oreomilkshake”. Eu fiz algumas batidas quando tive tempo.” Ele explicou como o nome de Sad Boys surgiu: “Eu ia comprar algumas roupas em uma loja com Yung Sherman, e estava fechada. Eu fiquei muito triste por isso.”

Quanto ao nome do palco “Yung Gud”, Berlander veio simplesmente com a palavra Gud, então decidiu mudá-la para Yung Gud para ser mais divertido, o que ele descreveu como “uma decisão estúpida”, mas que o agradou e subsistiu.

A produção de Yung Gud para os trabalhos de Yung Lean obteve respostas favoráveis ​​das críticas, com alguns destaques como complementa o toque final de Lean, e de acordo com um jornalista, suas batidas “exuberantes” e “melódicas” foram uma parte importante para os ouvintes de Lean se identificarem tanto assim.

Yung Gud admitiu ter gostado de Yung Lean e que ele ficou mais “seguro” como um repper com o passar do tempo. Ele disse: “Ele faz as pessoas se sentirem em algum tipo de caminho. Ele vai fazer com que as pessoas se sintam em algum tipo de caminho.”

Enquanto viajava com os Sad Boys durante a popularidade do álbum Unknown Memory de Yung Lean, Berlander começou a sofrer abusos de usar estimulantes como cocaína e xanax, assim como outros membros do grupo, o que levou a ele a não “reconhecer [ele mesmo] mais”. Isso o levou a voltar para a Suécia para conhecer sua família e encontrar sua verdadeira identidade novamente na primavera de 2015, quase considerando a perda de contato com o grupo e deixando o grupo. No entanto, ele foi encorajado por uma ruptura psicótica que Lean sofreu em Abril de 2015 e a morte de seu então gerente dos EUA e do fundador do selo Hippos in Tanks, Barron Machat, para ir a Miami, Flórida, ficar com os Sad Boys e ajudar a editar gravações mais difíceis por Yung Sherman para o álbum de Lean, Warlord.


Carreira solo


Yung Gud fez uma faixa chamada “Crushed”, uma música que faz parte de um gênero que ele engendrou, chamado “crushcore”.

O EP Beautiful, Wonderful, de quatro faixas, ficou disponível para transmissão em todo o mundo através do The Fader em 24 de Novembro de 2014. Nesse mesmo dia, o selo Sky Team o inseriu nas lojas europeias e nos mercados nos Estados Unidos em 25 de Novembro. Yung Gud comentou sobre: “Eu sempre quis fazer um produto de algum tipo. Então, com este EP, finalmente estou vendendo um som específico e olho para as pessoas que apoiaram minha música durante esse tempo que trabalhei nisso.”

Beautiful, Wonderful recebeu uma revisão positiva de Andrew Ryce, do Resident Advisor, marcou 3.5 como nota, de cinco, e disse: “Suas faixas solo têm uma majestade assustadora para eles, mas as melodias são pregadas com uma percussão grandiosa”. O EP foi promovido com uma turnê européia de dez dias que durou de 12 a 22 de Novembro.

Em 22 de Junho de 2016, Thump, do canal de música eletrônica Vice, estreou a faixa “Body Horror”, que foi a primeira original de Yung Gud em dois anos.

Berlander também mudou seu nome artístico de Yung Gud para simplesmente Gud, “um símbolo de seu desenvolvimento e crescimento como artista”, de acordo com a Hypetrak.


Influências

Berlander descreveu suas influências da música como geralmente “Left-field”. Ele e sua irmã primeiro ouviram bandas de metal como Slipknot e Korn desde os oito ou nove anos de idade. Ele então entrou na música eletrônica e engendrava trance psicodélico desde os doze anos, cujo gênero sempre foi uma influência para seus trabalhos, juntamente com outros estilos de música que envolvem o ambiente. Ele usou pela primeira vez um aplicativo de música da Sony Ericsson, e uma vez que ele ganhou um computador caro dado pela sua mãe, ele começou realmente a engendrar com o programa GarageBand antes de passar para Fruity Loops e outros programas  e agora usa o Ableton Live. Ele afirmou que Lil Wayne, Young Thug, Andre 3000, Nas e Lil Ugly Mane são seus reppers favoritos e espera colaborar com Drake, PartyNextDoor ou FKA no futuro.

Ele explicou com que frequência ele faz sua música:


Às vezes não faço nada por meses; às vezes eu faço isso o dia todo dia. Mas foi a única coisa em que eu pude pensar há seis anos. Eu não me importo com mais nada. [...] Eu me importo com muitas coisas, mas eu não me importaria com todas as outras coisas se eu não fizesse música. Todas as outras coisas são baseadas em mim fazendo música de alguma forma. Todo o resto da vida se torna bom ou divertido se eu puder fazer isso. Se eu não pudesse fazer isso, eu me deitaria para sempre, colocaria um travesseiro sobre minha cabeça e ficaria deitado lá. Eu comeria e tomaria banho talvez uma vez por semana.



Manancial: Wikipedia

Sem comentários