DESTAQUE

COMERCIANTES DO CAOS – PARTE UM

Bastidores: Raekwon ‘Only Built 4 Cuban Linx...’

[Este artigo foi originalmente publicado em Maio de 2005 pela XXL]



Disponibilizado em 1 de Agosto de 1995, logo depois dos projetos de Method Man e Ol’ Dirty Bastard, a vitrine do Chef abriu novos caminhos, desviando-se dos últimos projetos do Wu-Tang Clan, que enfatizou ágeis júbilos verbais, trazendo algo completamente inesperado: um álbum dirigido pela narrativa conceitual erigida por dois ambiciosos (Raekwon e, em uma performance de gala, companheiro de rima e Clan, Ghostface Killah). Numa estrutura cinemática, infundida com a personalidade humorística de Rae e o jogo de palavras indelével de Ghostface Killah, também engendrado por um produtor magnífico, RZA, Cuban Linx inspirou grandes nomes do hip-hop — de Jay-Z, com Reasonable Doubt, até 50 Cent, com Get Rich or Die Tryin’.

“Eu estava direcionado para uma ambientação das drogas”, lembra Raekwon ao fazer seu projeto autobiográfico. “Foi quase como um comprimido da minha vida, onde eu queria ir, e todas as coisas que eu vi. Nós estávamos apenas mostrando aos niggas que dominamos todos os lados das ruas quando se trata de tentar chegar ao topo.”

Embora o gangsta rep da Costa Leste tivesse Kool G Rap e Mob Style (o final da década de 80 do Harlem também tinha Pretty Tone Capone e o famoso senhor do crime, o autêntico AZ) tivessem abordado assuntos semelhantes, as vinhetas arrogantes do Cuban Linx elevavam essa narrativa para outro nível, retratando uma fatia da vida underground onde imperava a teologia da Five Percent Nation, os assaltos realizados por gangues e os problemas recreativos de cocaína se misturavam livremente. O álbum também iniciou várias tendências dentro do mundo de rep: Cuban Linx foi a primeira instância dos reppers a adotar apelidos inspirados na máfia (“Wu-Gambinos”); músicas como “Incarcerated Scarfaces” e “Ice Cream” iniciaram gíria como “politic” e “butter-pecan Rican” no vernáculo do hip-hop; e Cristal tornou-se o espumante de escolha para o conjunto fabuloso do gueto, graças ao apoio de Rae e Clan nas letras de várias músicas.

Nada, no entanto, foi mais indicativo da fidelidade de Raekwon para a estética do soldado da rua do que o título completo do projeto, Only Built 4 Cuban Linx Niggaz — tanto como uma declaração de sua potência musical como um aviso para aqueles que não estavam preparados para a obra-prima sem cortes.

“Eu quis retratar uma imagem que, se eu estivesse vendendo crack na rua, [você] reconheceria essas moedas de outras pessoas”, ele explica. “Reconheço que estou me colocando em outra classe, onde isso pode não chegar em todas as mesas, mas chegando na mesa dos niggas pode ter certeza que essa será uma bíblia do hip-hop nas ruas.”

Em última análise, essa abordagem intransigente continua a ser o legado mais persistente de Cuban Linx. Raekwon e Ghostface poderiam criar suas própria gírias, dedicar skits a Wallabee Clarks, usar passagens de diálogo inteiras de seus filmes favoritos como interlúdios, e convidaram apenas Nas. A dupla explicou o controverso skit “Shark Niggas (Biters)”, onde a chave era “ser original”. Neste espírito, a XXL reuniu Raekwon e seus colaboradores para esclarecer suas reflexões e ideias sobre a criação deste clássico do hip-hop. — Chairman Mao


Compilado por Paul W. Arnold, Paul Cantor, Jon Caramanica, Andrea Duncan, Toshitaka Kondo, Chairman Mao, Adam Matthews e Vanessa Satten


Construtores:

Raekwon the Chef a.k.a Lex Diamonds
RZA a.k.a Bobby Steels
Ghostface Killah a.k.a Tony Starks
Inspectah Deck a.k.a Rollie Fingers
Masta Killa a.k.a Noodles
GZA a.k.a Genius, ou Maximilian
U-God a.k.a Golden Arms a.k.a Lucky Hands
Cappadonna a.k.a Cappachino
Blue Raspberry: Vocalista convidado
Nas: Participante convidado



1. Striving for Perfection


Raekwon
: Quando nós sentamos e fizemos “Striving for Perfection”, nós sabíamos o quão importante é a introdução de um álbum. Nós estávamos entrando como jovens, brincando. Nós tínhamos visões — objetivos e sonhos. E quando dizíamos certas coisas, isso relacionava-se às vidas dos niggas de forma real. Mas, no fim das contas, estávamos apenas tentando deixar notável tipo, “Yo, vamos fazer isso e não vamos parar.” Se caíssemos, seria natural, faz parte. Mas se continuássemos, isso teria mostrado que seria apenas o começo. Era apenas algo como, “Se isso não funcionar aqui, precisarei escolher outro caminho para peregrinar. Alguma outra coisa.” Então, sentimos como se estivéssemos nos esforçando para ficarmos notórios nesse mundo do rep como aqueles caras que realmente tinham respeito nas ruas.

RZA: O tema do álbum são dois caras que tiveram o suficiente da vida negativa e estavam prontos para seguir em frente, mas tiveram mais uma chance de sair. Eles estavam cansados ​​de fazer o que estavam fazendo, mas estão tentando fazer este último milhão. Isso é muito dinheiro nas ruas. Nós vamos nos aposentar, e ainda ver nossos netos que ainda são um bebê, crescer e juntar nossas vidas.

Sendo que Rae e Ghost eram dois homens opostos no que diz respeito aos bairros, então usei o filme The Killer (1989) de John Woo. [No filme] você vê Chow Yun-fat [interpretando o papel de Ah Jong] e Danny Lee [Inspector Li]. Eles têm que se tornar parceiros para trabalhar.

Conheci John Woo no mesmo ano. Ele me enviou uma carta. Ele ficou honrado por ter feito isso. Fiquei confiante de que pudéssemos resolver qualquer coisa que surgisse. Você geralmente pode resolver essa parada. Faz parte do orçamento, cara. Mas John Woo não queria nada, nunca tinha dinheiro para isso. Nós realmente nos tornamos amigos, ele levou eu e Ghost para almoçar e jantar muitas vezes. Ele me deu muita orientação no cinema.

Method Man: RZA é um cara que assistiu karatê na maior parte de sua infância. Ele tem esse tipo de mente; sua imaginação é louca. Então, quando ele colocou esses álbuns [primeiro Wu] juntos, ele era como um garoto em uma loja de doces — tipo, “Agora eu posso finalmente fazer meus próprios filmes de karatê.” Então, quando os álbuns solo foram disponibilizados, o meu surgiu onde Wu-Tang terminou, então foi bom para mim. O obsceno ainda tinha o elemento kung fu, mas estava mais torcido; era como uma música aparafusada porque era vista pelos olhos obscenos desta vez. Quando o álbum de Raekwon veio, já que ele estava com uma influência mafiosa, então foi assim que ele estruturou seu álbum. Todo filme gangster que ele conseguiu encontrar, todas as citações — foi como se ele tivesse pego e juntasse nesse álbum.


2. Knuckleheadz

Participando: Ghostface, Golden Arms


Raekwon
: Essa é uma faixa onde passamos por aí fazendo o que fazemos, ganhando dinheiro. Nós estamos botando os niggas em seus devidos lugares. A batida apenas nos fez sentir como: “Quem é o knucklehead (idiota; tolo) querendo respeito?” Essa foi apenas uma daquelas faixas onde sentimos que tínhamos acabado de roubar um banco e chegamos em casa e gastamos esse dinheiro. Veja esse knucklehead, ao tentar ser hábil com essa grana: “Um para você, dois para mim.” É como, “Quem é você, estúpido? Está achando que sou Tom & Jerry?”

RZA: Minha ideia era além de eles reproduzirem os versos, depois de falarem todo esse lance de fraternidade, eles dividiam o dinheiro e ele os trapaceava. A ideia era que U-God fosse morto em “Knuckleheadz”. Isso é como um filme. Um morre, os outros dois continuam. Para mim, o álbum é um filme. Você começa a ouvir U-God. Depois dessa música, eu tive que dar algumas instruções a Rae para ele recuar um pouco.

U-God: Eu estava há dois dias fora da prisão. Tinha acabado de sair da penitenciária. Eu voltei para casa durante o álbum de estreia do Wu-Tang, Enter the Wu-Tang (36 Chambers)também. Peguei dois anos de prisão. Fui solto em liberdade condicional — antes do primeiro álbum ter sido finalizado. É por isso que só participo de duas músicas no primeiro álbum do Wu-Tang. Então eu fui violado. Eu fiquei preso por mais oito meses. Então voltei para casa e cheguei participando do álbum de Rae e Ghost [Ironman]. Quando eu fiz o meu verso para “Knuckleheadz”, foi um tempo de aparecimento, todos tentando entrar nesse mundo do rep. Não tive a chance de fazer meus vocais. Quando eu ia fazer, fui preso novamente.


3. Knowledge God


Raekwon
: “Knowledge God” foi uma história séria que eu escrevi. É como se eu estivesse sentado e escrevendo uma carta, mas ela foi parar na cena do crime do que nós faríamos. Eu estava falando sobre ser um mano real, um dono de loja como Mike Lavonia — aqueles niggas que estão fazendo dinheiro no bairro e tentando ficar longe do caminho dos problemas. Mas ao mesmo tempo, ele ainda mantém a terra firme porque ele conseguiu negócios aqui nas ruas. [Ele está pensando], “Eu não vou ficar sendo intimidado por todos esses jovens garotos, mas ao mesmo tempo eu sei que alguns jovens podem estar planejando.” Foi aí que esse personagem veio.

No início dos anos 80, a cocaína deixava muitos niggas ricos. Então se você estivesse fazendo isso naquele tempo e tivesse conhecimento de si mesmo, você era um mano sapiente para nós, porque esse era o sinal dos tempos então. Mas ninguém nunca disse nada sobre isso... [Cheirando no início da música] apenas aconteceu. Essa foi uma parte. Quando eu fiz isso, não foi com o intuito de adicionar na faixa. Você sabe, um nigga não precisa gritar para ouvir o microfone. Qualquer um poderia fazer outro som para ouvir o microfone. Então isso aconteceu. Eu senti quando estava sentado escrevendo aquela rima sobre parafernália de drogas, que eu poderia ter sido um nigga envolvido nisso naquele momento. Nós poderíamos realmente ter sido prejudicados. Então, isso combinou perfeitamente. Mas não foi como se estivéssemos cheirando [cocaína no estúdio] ou algo do tipo.


4. Criminology

Participando: Ghostface


RZA
: Isso era eu tentando produzir como um DJ, produzi. Ghostface realmente me pediu para fazer uma dessas batidas. Você ouve velhas fitas de DJ. Foi assim que fiz essa música e ele queria que sua ideia se transformasse em uma batida. Ele tinha uma rima; ele sabia que iria mudar o jogo — esse era o verso que o tornaria reconhecido. DJ Muggs [Cypress Hill] me chamou e disse: “Yo, ele botou para foder nessa. Ele arrebentou nessa parada.” A partir daí, ele foi a co-estrela. Ele ganhou o Best Supporting Actor. Rae foi nomeado, talvez tenha ganhado ou não — mas Ghost definitivamente ganhou.

Ghostface: Eu escrevi o meu verso em San Francisco. Nós éramos acostumados a levar a máquina de batida para todos os lugares. Nós ficamos lá por duas boas semanas, então RZA estava fazendo batidas todo dia. Ouvi essa batida e adorei essa faixa. O ano era 95. Hip-hop ainda era hip-hop, e nós estávamos nisso. Não sei se estava bêbado quando escrevi isso, mas sei que registrei muitas rimas bebendo Ballantine. Eu gravei muita coisa minha bebendo Ballantine.


5. Incarcerated Scarfaces


Raekwon
: Foi como se os niggas tivessem vindo em seu próprio tempo e criassem materiais. Eu lembro que eu tinha acabado de entrar [na cabine], e a batida foi tocando. Eu escrevi o refrão — essa foi a primeira coisa que fiz. Eu acho que um dos meus niggas tinham acabado de ser preso naquela época. Eu tinha muitos niggas lá, também. Então, falei, “Yo, this one gotta be for them niggas right here. This right here will be just for them niggas in jail. It won’t nobody else.” Eu escrevi muito rápido. Eu fiz três versos sobre isso, e Ghost não precisou entrar para fazer nada.

RZA: Eu não estava fazendo essa batida para Rae. Eu já tinha finalizado com Rae. Eu gostaria que o disco tivesse 13 faixas. Eu não gostei que teve 18. Eu estava provavelmente fazendo isso para o álbum do GZA. Ele seria o próximo. Mas então Rae ouviu essa batida, pegou sua caneta e papel e começou a escrever. Duas horas depois, finalizou.


6. Rainy Dayz

Participando: Ghostface, Blue Raspberry


Raekwon
: Quando escrevemos “Rainy Dayz” eu acho que já estávamos fora do país. Estávamos em Barbados, pelo mar. Nós já havíamos saído [com as batidas] da cidade e tínhamos algo pronto. E essa faixa especificamente, escrevemos em alto mar. Três, quatro da manhã. O vento estava soprando, as cortinas soprando, e nós realmente tivemos a chance de dar nosso melhor. Eu acho que escrevi o meu lá fora [do navio].

Nós basicamente demonstramos algumas ações sobre como os niggas do bairro pensam. Como uma mulher pensa. Nós comentamos: “Isso vai ser perfeito para uma menina esforçada que não consegue entender seu homem e se ele for radical”. Nós queríamos colocar a menina do filme [no início da música] no skit quando ela disse: “I sing for him and him isn’t here”.

RZA: Essa é uma das minhas favoritas, se não a favorita. Ele permaneceu no reprodutor por um longo tempo. Foi o que chamamos de voltamos à época. Eu não finalizei a música até ficar satisfeito. Eu geralmente gosto de fazer, mixar e finalizar. Isso foi muito emocional e muito real para mim, muito perto da minha situação pessoal. Essa era a vida que estávamos vivendo, apenas falando e fazendo rep e esperando. Registros de direitos autorais levam muito tempo para vir. Tivemos um álbum de platina, mas aguardamos a rápida análise, como bebês que desejam comida.

Blue Raspberry: Fiquei no microfone cantando aquela velha canção de Barbra Streisand e Donna Summer [“No More Tears (Enough is Enough)”], que [reproduz] “It’s raining, it’s pouring, my love life is boring me to tears”. Eu estava apenas cantando isso, e então RZA começou a tocar uma faixa. Então é aí que “It’s raining, he’s changing” veio. Esse foi o tipo de estado mental em que me coloquei. Eu fiquei um pouco perplexo no meio, então tipo, “No sunlight, more gunfights”. Quando eu disse “No sunlight”, RZA completou com “More gunfights”, que me levou para um outro domínio da música, onde eu poderia ir em frente e completá-la.


7. Guillotine (Swords)

Participações de Ghostface, Inspectah Deck, GZA


Raekwon: Para mim, essa foi uma faixa “Symphony”. Method Man tinha um pedaço dessa batida em seu álbum que foi usado como um skit. Porque é assim que é RZA. Às vezes ele mistura outra coisa e acaba resultando em um pedaço de algo, mas na verdade não fez como se fosse para isso. Eu disse a RZA há algum tempo depois que ele fez isso, “Yo, eu quero essa batida.”

Nós fomos os primeiros a falar sobre Cristal. Nunca ouvi falar de Cristal antes disso. Naquela época, fomos jantar com [presidente da Loud Records] Steve Rifkind e o pessoal da gravadora. E quando nos sentamos à mesa, nós queríamos o melhor vinho do ambiente. Nós pedimos Mo ou algo assim e eles não tinham. Então, nós começamos: “Qual é a próxima melhor bebida, Steve?” E Steve respondeu: “Dê à eles o melhor que vocês têm.” Eles trouxeram uma garrafa de champanhe Cristal. Eu e Ghost gostamos da garrafa, e o nome da garrafa tinha Louis Roederer impresso no rótulo. Eu satirizei falando, “Eu sou Lou Diamond. Louie Roederer.” Eu e Ghost ficamos apaixonados pela garrafa. Custou mais do que qualquer outra porra, então nós começamos a dizer: “Cristal, nigga! Esse é o nosso novo lance!”

RZA: Para essa batida, uma batida muito aberta, não foi uma produção muito árdua. Este sou eu tentando imitar o som que Isaac Hayes fez em “Do Your Thing”. Esse da-na-na-na-na, encontrei uma maneira de imitar o lance que ele fez. Quando você conecta o Yamaha VL7 [teclado] com uma MPC [sampler], devido ao corte da nota da MPC, faz com que as notas gaguejem, porque não se liga perfeitamente. Eu ouvi e eu poderia reproduzi-lo, mas apenas com essas duas máquinas. Eu tinha o protótipo da Yamaha porque eu não queria que ninguém mais tivesse isso.

GZA: Não sei por que só participei de uma faixa. Talvez porque era apenas um álbum de Rae e Ghost — esse foi um projeto com Ghost, e acho que ele provavelmente estava satisfeito comigo, apenas estando em uma. Apenas para marcar uma presença.


8. Can It Be All So Simple (Remix)

Participando: Ghostface


Raekwon: O remix surgiu quando costumávamos fazer shows quando Enter the Wu-Tang saiu. Eu e Ghost costumávamos sair daquela parte da batida no meio do show. RZA fez um pouco de magia, tocou e girou, e Ghost estava basicamente falando sobre os dias em que ele foi baleado fora da cidade. Ele começou a contar sua história nas rimas. Naquela época, muitos niggas que conhecemos estavam dentro e fora de diferentes estados e cidades, e você sabe que qualquer merda pode acontecer. Então, quando ele escreveu isso, acho que ele voltou ao momento em que ele disse: “Trauma de emergência, adolescente negro encaminhado para cirurgia.” Foi como se ele estivesse descrevendo aquele momento.


9. Shark Niggas (Biters)


Raekwon: Foi um daqueles skits onde estávamos olhando a nossa emulação. E quando Ghost está dizendo qualquer coisa que está dizendo, nós meio que sabíamos de quem ele estava falando, mas não foi do tipo que estávamos tentando iniciar uma rixa. É que algumas vezes, quando você entra naquela cabine e começa a dizer o que quer dizer, é apenas um acontecimento. Naquela época estávamos nos sentindo bem. O licor estava fazendo um nigga se sentir mais forte. Nós sabíamos que estávamos chegando com um bom álbum. E nós estávamos tornando isso facilmente enfático, ouça: Blah blah blah blah blah. E foi isso que todos nós fizemos.

RZA: Essa marcava o fim do primeiro lado. Foi assim que pensamos nisso. Nós estávamos avisando os niggas, sabíamos o que estávamos fazendo, sabíamos o que estava na nossa mão. Não se parece com nada da nossa equipe. Eventualmente niggas se emergiam. Se eles não tivessem disponibilizado naquele ano, eles teriam ficado fodidos. Nós estávamos aplicados, nós estávamos botando os niggas lá em cima. Você cresce fora da sua baixeza. O hip-hop tinha apenas uma regra: não plagiar. Nós sabíamos que vários já estavam entrando nesse barco. Você tinha alguns otários tentando clonar nossa parada, já teve até alguns falsos Method Man surgindo. Foda-se isso. Nós vamos te ver. Em um ponto, algum nigga poderia te matar se você soasse como eles.

Ghostface: Eu não queria que ninguém soasse como eu. Basicamente fomos curiosos, começando muitos problemas. Estávamos surgindo naquele momento. Não estou aqui para arrumar confusão e começar a citar nomes. Mas naquela época, eles sabiam o que estava acontecendo e de quem estávamos falando. Você sabe como o Wu chegou. Naquela época, podia ser para qualquer um. Nós entramos no jogo tipo, “Foda-se todo mundo. Niggas não podem fazer isso.” Essa era nossa estrutura mental naquela época. Nós rodávamos por todas aquelas áreas — prisões, ruas, Brooklyn House, Rikers Island e Up North. Então nós éramos apenas dois niggas esquivando-se daquela merda.

Deus abençoe os mortos, eu amo Biggie. Ele é um ícone do caralho. Mesmo quando o vi em Cali, queria dizer para ele: “Yo, vamos fazer algum trampo juntos, porque amadureci por anos e, ao mesmo tempo, reconheço uma boa música.” Apertamos a mão sobre paz, mas foi só isso, porque eles estavam indo embora. Um dia ou dois depois, os niggas o mataram. Eu me senti mal como um filho da puta, pensando: “Merda, mataram um dos meus niggas de Nova York.”


10. Ice Water

Participando: Ghostface, Cappachino


Raekwon
: Todo mundo do bairro conhecia Cap. Sabíamos que Cap poderia rimar, e acho que ele estava ficando quente naquele momento, também. Eu e Ghost já havíamos deixado nossa parte. Então, precisávamos que ele fizesse a sua. Ele entrou bem no meio, e fez o que fez.

Cappa derrubou GZA e derrubou todos [os outros que rimaram nessa faixa]. Ele praticamente chutou os niggas para fora na força da rima; mas também, quando ele disse certos nomes que eram do bairro, todos ficaram loucos. Então ele ganhou um pouco com um deslizamento de terra. Mas GZA veio afiado. Então GZA sentiu-se um pouco roubado. Ele precisou voltar para casa como, “Yo, tanto faz.” Nós rimos dessa merda até hoje. Tipo, um mano roubou GZA. Mas Cap venceu. Uma ocorrido engraçado.

RZA: No lado A, você tinha U-God botando para foder com eles. Na minha cabeça, no filme, ele já matou. Agora lá estava chegando um novo nigga, com um novo flow e tal.

Cappadonna, ele quase não estava no porão. Ele estava na prisão, mas ele ainda soava bom, ainda tinha algo bom nele. Eu disse a ele: “Você pode aparecer como Green Hornet fez.” Nós o deixamos falar [entre os versos segundo e terceiro]. Ele corroborou a associação de Ghost e Rae das ruas. Ele era de Stapleton com Ghost... Então, ele estava imortalizado agora. Música e filme, mantém você lá para sempre.

Inspectah Deck: Esse é meu lance. Quando faço shows, eu faço freestyle. A galera fica louca. Essa batida sozinha era RZA chapado de maconha. Acho que RZA fumou erva naquele dia. Ele normalmente não fuma. Quando fumamos, ele não entra na onda.

U-God: Cappa ficou oito anos na prisão. Cappa chegou em casa. Eu sou o único que foi lá e tirou Cappa de sua cama quando Rae e os niggas estavam gravando. Ele nem queria vir, porque estava bolado. Quando você está na prisão e volta para casa e os niggas com quem cresceu estão fazendo isso sem você, é claro que você vai se sentir assim. Eu o tirei da sua maldita cama, fi-lo esquecer esse sentimento de desgosto e o levei para o estúdio. Cappa me ensinou a rimar! Eu costumava ser seu beatbox.


11. Glaciers of Ice

Participando: Ghostface, Masta Killa


Raekwon: O [skit de abertura] foi algo que eu e Ghost realmente queríamos realizar, porque naquela época estávamos realmente comprando [sapatos] Clarks. Nós tínhamos encontrado um chinês que podia dar uma moral. Esse era um colega do Ghost. E nós íamos até aquele nigga sempre que queríamos ir buscar alguns sapatos. Naquela época, tínhamos sapatos ruins. Queríamos usar Clarks porque eram confortáveis ​​e ninguém do rep usava. Então você sabe, nós tingimos, e é aí que Ghost surgiu com a ideia de dividi-los. Eu era o mano da cor sólida; ele era o listrado. Começamos a apresentar diferentes tipos.

Quando eu rimei para “Glaciers” não seria realmente essa batida. Foi a parte do tambor que rimo. Naquele dia, quando fui para casa, não gostei da minha rima. Todo mundo continuou aporrinhando, gostaram da minha rima. Mas eu não. RZA disse: “Não se preocupe com isso. Vá para casa, vá descansar, você está cansado, você está se irritando.” Eu falei: “Foda-se isso. Quando eu voltar amanhã, vou mudar isso.”

Quando voltei, foi como se fosse uma nova e diferente batida com o tambor sobre. Ele fez Blue Raspberry bater certo nas notas. Ele tinha que gritar, fazer o lance ficar louco. Essa merda não é mais que um festival de AK-47 com todos os gritos. Foi como se ele tivesse num tiroteio com um monte de niggas do Iraque.

Blue Raspberry: Uma noite, eu estava no estúdio e brincando no microfone, cantando “Over the Rainbow”, de Patti LaBelle. Eu estava sem música, sem nada. Eu estava sentado lá, apenas cantando. E quando parei de cantar, [reproduzindo] “Why then, oh why c-a-an’t I?” RZA gravou. E é aí que ele colocou, em “Glaciers of Ice”.

RZA: O skit de Clarks é totalmente como Ghost é. Eu acho que ele gravou o skit quando estávamos no carro. Eu tinha um DAT portátil. Fiz com que todos conseguissem um, porque não sabemos para onde iremos quando uma ideia chegar. Coloque-o debaixo da sua cama com sua mina, seja o que for.

Ghostface: Nós estávamos no carro um dia, dirigindo por aí com um DAT com microfone. E nós apenas começamos a falar algumas coisas sobre como vamos fazer isso neste verão com os Clarks. Sou um inventor. Os niggas não podem bater de frente comigo quando se trata de estilo. Provavelmente o único que pode bater de frente comigo é Slick Rick. Além disso, sou o chefe.


12. Verbal Intercourse

Participando: Ghostface, Nas


Raekwon: Nós estávamos no estúdio. RZA jogou a batida. Nas estava gostando, e ele estava tentando rimas díspares para isso. Nós nos sentamos lá, e ele falou alguma de suas coisas. Mas ele realmente não sabia qual rima queria dizer. E eu estava lá, sendo como seu treinador. E eu falei: “É isso, filho.” Ele respondeu: “É isso?” Eu falei: “Nigga, é isso!” Mas ele já tinha feito três ou quatro rimas, e realmente não conseguia decidir qual iria adicionar. Mas eu ouvi isso. Uma vez que isso saiu de sua boca, eu disse: “É isso.”

Nosso foco principal era apenas ter certeza do que ele precisava fazer. Quando ele fez, eu deveria ter escrito algo realmente rápido, apenas para acrescentar e conseguir algo. Ghost apenas colocou a cereja no topo. Sem refrão, porque não nos importamos com refrões assim. Tudo o que tivemos foi o “RZA, Chef, Ghost and Nas...”, que é mais ou menos um refrão de introdução. Na verdade não é um refrão.

Nas: Rae ia para Queensbridge. Eu ia para Staten Island. Nós apenas andamos e curtimos a noite toda. Nós não nos encontramos para trabalhar. Contatamos um ao outro para sair, dar uma volta. De alguma forma fomos parar no estúdio. RZA tinha umas batidas prontas. Ele botou para tocar para mim. Cheguei aonde eu queria. Me senti penhorado quando recebi o convite para estar no álbum. Raekwon estava à frente do seu tempo. Eu sabia que Rae era um artista clássico e o álbum seria um clássico da música.

Ghostface: Nas fez em uma noite. Ele foi primeiro com seu verso. Os nossos vieram depois. O filho foi fugaz. Nas já tinha alguns versos. Ele reproduziu um verso para nós e depois outro, não no microfone. Ele simplesmente perguntou: “Como isso soa?” E então escolhemos aquele que ele reproduziu. Ele ainda tinha a caneta na mão e tudo mais, mas o filho entrou lá e apenas reproduziu um verso malvado. Ele estava em chamas.


13. Wisdom Body

Participando: Ghostface


Raekwon: Ao meu ver, Cuban Linx sempre será um álbum de Ghost bem como meu. Isso é uma coisa sobre mim. Eu já sabia que éramos um duo. Então mesmo que as pessoas sintam que seja um álbum de Raekwon, eu olho para ele como se fosse um álbum do Wu-Tang, e esse sou eu e o departamento de Ghost aqui, porque os caras realmente não falam [em um material de rua] assim. Ou os caras até falam, mas não como nós falamos. Então quando Ghost fez seu verso [em “Wisdom Body”] no álbum, pensei:“Essa faixa é definitivamente necessária e ele soa demasiada maravilhosa.” Eu não estava no estúdio naquele dia quando ele fez isso, mas eu conhecia a rima que ele iria cuspir, porque lembro que RZA continuava tocando a batida uma e outra vez, pedindo opinião: “Alguém precisa destruir nisso.” É assim que RZA é. “Alguém tem que destruir nisso, queira você destruir ou não, alguém precisa emergir sobre isso.” E Ghost foi lá e se emergiu sozinho.

RZA: Essa [faixa originalmente chamada] “Fly Bitch Shit”. Naquele momento, Ghost tornou-se Tony Starks. Com essa música, Ghost entrou e fê-la em um dia; era só Ghost em primeiro lugar. Então Rae queria entrar nessa. Eu disse: “Não, isso é muito pessoal para Ghost.”

Tinha uma falha nessa faixa, da maneira que ele fez pela primeira vez no ADAT. Ele nunca veio com a mesma umidade da voz. Ele é mais agudo quando outros produtores trabalham com ele. Sua voz deve ser comprimida em 90 mhz e inclinada para baixo. Eu sei disso; outros produtores e engenheiros não sabem disso. Eu tinha nove compressores — um para cada MC — que eu poderia simplesmente corrigir.


14. Spot Rusherz


RZA: “Spot Rusherz” foi outro exemplo disso. Eu realmente não estava sentindo a batida. Outra vez eu estava fazendo batidas para GZA. Rae e eu temos uma semelhança. Nós trabalhávamos firme, nos dedicamos à causa. É uma daquelas coisas onde ele entrou e transmitiu. E para mim, salvou a batida. Ainda não gosto dessa batida. Eu ainda queria retirá-la do álbum. Os dois tiros de arma no final: No caso de você se sentir entediado, eu estaria trazendo você de volta.


15. Ice Cream

Participando: Ghostface, Method Man, Cappadona


RZA
: Tenho que ter um crédito total pela ideia. Eu consegui esse fundamento no andar de baixo no meu primeiro apartamento bonito que eu tinha, em Mariner’s Harbour [em Staten Island]. Há uma linha que vai do porão para a sala de produção no segundo andar. Eu apenas organizei em uma noite e fiz a batida. Meth veio. Eu disse a ele que eu consegui uma ideia louca nessa. Eu quis usar os seios das meninas como cones de sorvete imaginários. Eu tive a ideia de fazer camisas para agitar isso. “Meth, você vai fazer o refrão.” Foi a primeira música, além de “You’re All I Need to Get By” que nós nos unimos. Ele não gostou de ser o menino bonito. Ele tomou as palavras que eu disse — “French vanilla”, “butter pecan” — e as colocou na ordem perfeita. Foi realmente o primeiro contato do Wu-Tang com as mulheres.

As mulheres nem sequer eram permitidas a entrar no estúdio. Uma mulher não era permitida no estúdio até 1997. Elas eram uma distração. Isso me lembra a ingenuidade da mente que eu tinha e fazendo essas músicas e pensando que poderíamos fazer as camisas. Nós provavelmente vendemos sozinhos 20 mil na loja Wu-Wear.

Cappadonna: Bem, a primeira coisa que fiz, a que me colocou no mapa, foi “Ice Cream”. E nós fizemos aquilo como, esse foi o começo, ninguém realmente não tinha feito nada. Tínhamos um pequeno estúdio no Clove Lake. RZA tinha um apartamento ali, com o estúdio no porão. Esse é o estúdio que foi inundado. Ele tinha sido inundado. Mas antes disso, eu estava fora como um guarda de segurança lá no momento, e eu tinha entrado lá e eu ouvi “Ice Cream”, eu tinha ouvido o verso de Rae; eu ouvi o verso do Ghost lá. E eu fiz uma piada sobre eu entrar na faixa, e RZA levou a sério e disse: “Yo, vá em frente. Faça a sua parte.”


16. Wu-Gambinos

Participando: Ghostface, Method Man, RZA, Masta Killa


Raekwon: Os apelidos [para Wu-Gambino] surgiram porque eu gostava do filme Once Upon A Time in America, com Robert De Niro e James Woods. Eu gostei de como esses pequenos jovens niggas cresciam, da raiz, não tendo nada para começar, mas ainda ficaram confusos sobre como eles se tratavam. E os nomes vieram. Você está ligado, “Tony Starks” veio de Iron Man. “Lou Diamond” veio de mim que apaixonado pelo mundo dos diamantes. Mas então eu comecei a dar alguns apelidos para os meus niggas da equipe. Sendo que é o meu álbum, eu queria que eles soubessem, tipo “Você precisa ter um certo a.k.a (apelido) quando entrarem nessa faixa. Essa é uma faixa de Gambino. Wu-Gambinos. Eu chamei Masta Killa de “Noodles”. Chamei GZA de “Maximilian”. No interior do filme, “Noodles” e “Max” eram parceiros. Senti que GZA era como “Maximilian” porque ele era o cérebro da equipe. Ele dizia algo realmente intelectual e inteligente, e eu olhei para ele como um “Max”.

Eu chamei Deck de “Rollie Fingers” por causa da maneira como ele enrola o baseado. Então os nomes começaram a surtir efeitos nos niggas. Chamei U-God de “Gold Arms”. Então eles começam a fazer seus nomes próprios. “Bobby Steels” — era RZA, que era um verdadeiro Pantera Negra como DJ e produtor.

RZA: Agora que esses caras se juntaram, eles pisaram fundo, eles conseguiram uma fatia maior. Eles deveriam chamar os caras sinistros para isso. É Rae recebendo o resto do time para tornar esta coisa oficial.

Na verdade, essa foi a primeira vez que todos assumiram outro nome para acompanhar o conceito do álbum. Isso foi feito intencionalmente. Nós tínhamos provavelmente 11 músicas no álbum. Todos vêm com seu nome Gambino. Meu nome era Bobby Steel, de quando eu tinha 12, 13 anos, então eu trouxe isso de volta. Era eu e Ghost para colocar nossos versos por último. Ele é o último; todo mundo estava na faixa. Tru Master tinha que ser o engenheiro para me gravar. Eu deixei os niggas saberem que também sou parte do projeto. Eu também estou nessa pelo dinheiro. Para mim, foi uma chance de mostrar aos niggas, porque não fui ouvido por um minuto.

Masta Killa: Tudo foi feito no mesmo lugar. E foi uma coisa bonita de se ver. Wu-Gambinos: você vê Meth entrar; ele colocou seu verso. Você vê Deck entrar; ele coloca seu verso. RZA está lá; ele coloca seu verso. É inspirador ver outros MCs chegando pesado assim. E não apenas MCs. Esse é seu irmão. Essa é sua família. É como os Jackson 5 e tudo mais. Eles estão todos em uma sala. Foi mágico. RZA era o Beethoven de tudo isso. Eu acho que ele orquestrou essa parada toda. Muitas vezes os irmãos vinham e era como se você entrasse e fizesse o seu. Quando seu álbum foi concluído, você entrou para ouvir o que ele engendrou, colocando seus toques mágicos nas coisas.

Method Man: Estávamos chapados, apenas relaxando. Era sempre uma atmosfera descontraída porque estávamos muito acostumados a estar lá, dormindo no chão e tudo mais. Então era como estar em casa, escrevendo rimas em sua própria casa. Você ia do chão para a cabine gravar. Foram necessárias três horas, apenas para colocar vocais nessa faixa.

Essa foi a primeira vez que usamos nossos apelidos, os nomes de Wu-Gambino. Nós estávamos sentados lá e tipo, “Meu nome vai ser esse” e “Meu nome vai ser isso”. As pessoas realmente achavam que o meu maldito nome era Johnny Blaze. Raekwon começou isso. Ele estava lá, então RZA colocou isso à tona. Rae sempre teve essa mentalidade de mafioso, sempre gostou de assistir filmes de gângster e ler livros de máfia e coisas assim, saca? Então ele conhecia os nomes desses caras e o que eles eram e coisas assim. Ele abraçou todo o seu estilo assim. Plus Staten Island é conhecida por mafiosos — é onde os italianos vivem. Não dizendo que todos os italianos são mafiosos, mas você sabe, não somos cegos e tal.


17. Heaven & Hell

Participando: Ghostface


Ghostface
: Esta foi uma das primeiras músicas gravadas para o Cuban Linx..., porque nós conseguimos tirar isso da trilha sonora do filme Fresh. Rae escreveu tudo isso, e depois era só finalizar. Então, eu estava ali. Eu era o co-compositor, tipo, “Eu vou falar nessa parte.” Há muitas coisas que eu e Rae fizemos assim. Eu poderia escrever e ser como, “Yo, aqui, filho apenas diga essas partes.” Mas naquilo, ele fez isso. Nós gravamos no mesmo dia.

GZA: Alguns artistas trabalham juntos. Eu escrevi umas linhas para os irmãos, e eu tive linhas dos irmãos. É assim que finalizamos.


18. North Star (Jewels)


Raekwon
: “North Star” era uma faixa que eu realmente quis muito no meu álbum. Era uma faixa que senti que a vibração era como uma imagem em movimento. Eu estava tendo uma visão dessa música: eu podia ver uma criança olhando pela janela, apenas comendo uma barra $100,000. Ele poderia estar no sétimo andar, oitavo andar. E ele apenas olhava pela janela, olhando para todos esses niggas lá fora, na rua, fazendo as coisas. Como eles comem, como eles conseguem dinheiro. Como eles estão tentando obter esse dinheiro. Então essa batida sempre me lembrou algo calmo, de um problema e teatral que está prestes a acontecer.

A inspiração que Papa Wu estava dizendo, ele estava mais ou menos a fazer um documentário sobre mim com as palavras que ele estava dizendo. Ele estava falando para mim, “Yo, mantenha a cabeça erguida, cara. Não deixe nada te derrubar.” Só tentando realmente me inspirar do ponto de vista de um OG. E no bairro, OGs são lendários para nós.

RZA: “Fly Bitch Shit” e “North Star” era uma música, mas eu as separei. A ideia era que Rae fizesse tudo o que tinha que fazer. Tudo acabou agora. O trabalho acabou. A missão acabou. É um fechamento perfeito para o álbum.

Papa Wu foi um mentor muito inteligente na juventude para mim e Ol’ Dirty Bastard . Eu formei o Wu-Tang Clan. Todo mundo tinha a inteligência e a astúcia do conhecimento de rua, conhecimento de si mesmo. Eu o trouxe para ser um mentor para esses caras, eu os amo e você é a única pessoa que conheço que tem a inteligência para mantê-los em sincronia com o conhecimento. É muito venenoso, a menos que tenham uma orientação adequada. Ele era o homem mais inteligente que conheci em um determinado momento da minha vida. Seu nome costumava ser Freedom Allah. Ele era do Five Percent.






Manancial: XXL Magazine

Sem comentários