DESTAQUE

COMERCIANTES DO CAOS – PARTE UM

Selos: Death Row Records


Death Row Records é uma empresa de gravação americana fundada em 1991 por Dr. Dre e Suge Knight. Muitos artistas da Costa Oeste faziam parte do selo, como Dr. Dre, Snoop Doggy Dogg, Tupac Shakur, The Outlawz, MC Hammer, Young Soldierz, Sam Sneed, Michel’le, Jewell, RBX, The Lady of Rage, Danny Boy, DJ Quik, O.F.T.B., LBC Crew e Tha Dogg Pound, que consistem em Kurupt, Daz Dillinger, Nate Dogg, Soopafly e muitos outros. A Death Row Records ganhava $100 milhões de dólares por ano e, em 1996, a maioria dos artistas acima mencionados saíram do selo após a morte de Shakur. A empresa entrou em falência em 2006 e, em 15 de Janeiro de 2009, foi leiloada para a empresa de desenvolvimento de entretenimento WIDEawake Entertainment Group, Inc. por $18 milhões.


História

No final da década de 1980, o produtor Dr. Dre era membro do N.W.A, onde fazia parte da Ruthless Records de Eazy-E. Como chefe de produção no selo, Dre produziu um grande número de projetos implacáveis, muitos deles vendidos de alta; sentindo as pressões de ter que produzir tantos registros e sentindo que estava sendo mal pago, Dre se irritou com a Ruthless. Após a saída de Ice Cube sobre desacordos financeiros com o gerente do N.W.A., Jerry Heller, Suge Knight e o amigo The D.O.C. procuraram um advogado. Convencido de que Heller foi desonesto, eles se aproximaram de Dr. Dre para formar um selo com eles, longe de Heller e Eazy-E. Supostamente usando táticas severas contra Eazy, Suge conseguiu contratos para The D.O.C., Dr. Dre e a cantora implacável Michel’le.

Suge se aproximou de Vanilla Ice, usando conexões de gerenciamento com Mario “Chocolate” Johnson, alegando que Johnson havia produzido a música “Ice Ice Baby” e não recebeu seus royalties por isso. Depois de consultar Alex Roberts, de acordo com as fontes, foi a conexão de Suge Knight com o submundo, onde Knight e dois guarda-costas chegaram em Palmin West Hollywood, onde Van Winkle estava comendo. Depois de afastar os guarda-costas de Van Winkle, Suge sentou-se diante de Van Winkle, olhando para ele antes de perguntar, “O que você está fazendo?” Incidentes semelhantes aconteceram repetidamente em várias ocasiões, incluindo supostas tentativas de colocar Vanilla Ice em uma van cheia com as gangues Bloods e Crips, antes de Suge aparecer na suíte do hotel Vanilla Ice no 15º andar do Bel Age Hotel, acompanhado por Johnson e um membro do Oakland Raiders. De acordo com Vanilla Ice, Suge estava sozinho quando chegou na varanda, e como óbice, disse que só iria lançar Vanilla Ice se ele assinasse os direitos sobre a música para Knight; o dinheiro de Van Winkle ajudou a financiar a Death Row. Ao mesmo tempo, Death Row estava localizada na intersecção da Wilshire Blvd. com San Vicente Blvd. Suge foi visto em diversas ocasiões, deixando a casa de Alex Roberts em Malibu. Suge se aproximou de Michael “Harry-O” Harris, um empresário encarcerado de drogas e tentativas de acusações de homicídio. Através de David Kenner, um advogado que lidava com o recurso de Harris, Harry-O estabeleceu o padrinho, uma empresa-mãe para a recém-batizada Death Row.

Sucesso internacional e controvérsias

The Chronic


Com a ajuda de Kenner, Suge começou a assinar jovens artistas do centro da cidade da Califórnia e arranjou a Death Row para lidar com a trilha sonora do filme de 1992, Deep Cover. O single “Deep Cover” marcou a aparição Dre como artista solo e um jovem Snoop Doggy Dogg como seu chegado. O trabalho começou logo em The Chronic, o álbum solo de Dr. Dre, que apresentou Doggy em grande parte do projeto e o resto da lista principal do selo.

O álbum passou a vender 3 milhões de discos nos EUA, estabelecendo a Costa Oeste no Hip Hop/Rep e popularizando o estilo G-Funk.



Doggystyle

Depois de encontrar o sucesso solo, Dr. Dre começou a criar o álbum de estreia, Doggystyle, de Snoop Doggy Dogg; o processo demorou 2 anos. A estreia de Snoop foi em 1993 devido à demanda pública e alta pressão dos varejistas. Embora inacabado, ultrapassou The Chronic sendo platina quádrupla. Logo após dropar do álbum, a controvérsia começou a atingir o selo; Snoop Doggy foi acusado de assassinato, alimentando o debate de que os políticos C. Delores Tucker e o vice-candidato presidencial Dan Quayle provocaram a denúncia do gangsta rep contra os valores americanos, encorajando a violência contra policiais e degradando as mulheres negras.


Entrada de Tupac e popularidade de Suge Knight

Em 1995, o selo começou a inundar-se com os aliados de Suge Knight — amigos e membros de gangues que saíram da prisão, bem como oficiais de L.A.P.D. fora de serviço mais tarde envolvidos no escândalo de Rampart trabalhando como segurança. Logo, Suge começou a ter mais controle do selo e procurou ainda mais os holofotes, enquanto Dr. Dre se manteve fora, afastando-se da atmosfera violenta e da volatilidade recém-descoberta por Suge Knight. A pressão de Tucker pelo acontecido se estendeu a uma proposta conjunta por si mesma e  executivo da Warner para criar uma gravadora com Knight para colocar música Rep/Hip Hop controlada por conteúdo, onde Suge acabou violando o contrato, resultando em uma mudança na distribuição da Time Warner para a Interscope. No The Source Awards de 1995, o desempenho da lista da Death Row teve uma recepção fraca de audiência principalmente da Costa Leste; Suge também fez comentários sobre o CEO da Bad Boy, Puff Daddy, criando uma rivalidade entre os dois selos (e logo depois, as duas Costas inteiras). Logo Suge assinou 2Pac, que estava preso por abuso sexual, depois de concordar em pagar a fiança de 2Pac.
Suge (esquerda) e 2Pac.


Rixa com Bad Boy Records e saída de Dr. Dre

2Pac começou a trabalhar em seu álbum pela Death Row, iniciando seu mandato insultando The Notorious B.I.G., Junior M.A.F.I.A. e Puff Daddy, a quem ele acusou de ter sido os mandantes do roubo seguido de tiros no início desse ano [1994], além de Mobb Deep, Jay-Z, Prodigy, De La Soul, The Fugees e Nas. O álbum de estreia de Tha Dogg Pound, Dogg Food, continuou com a série de sucesso comercial; seus membros, os reppers Kurupt e Daz Dillinger, juntaram-se a Snoop para ridicularizar os reppers de Nova York com seu single “New York, New York”, com Snoop Doggy Dogg. O videoclipe, filmado em Nova York, também foi aumentado quando o set foi filmado em um drive-by. Após o tiroteio, Snoop Doggy e Tha Dogg Pound filmaram cenas que derrubavam um prédio em Nova York. O single provocou uma resposta chamada “L.A., L.A.” pelos reppers da Costa Leste Capone-N-Noreaga, Tragedy Khadafi e Mobb Deep.


[drive-by: Um tiroteio realizado por membros de gangue em um veículo a motor que se move lentamente e que, em seguida, se afasta da cena.]


Outro relatório foi que Sam Sneed foi espancado em uma das reuniões do selo por um grupo de afiliados da Death Row, liderado por Suge Knight e 2Pac. De acordo com Daz Dillinger, o motivo pelo qual isso aconteceu foi porque Sam Sneed teve muitos reppers da Costa Leste no seu videoclipe “Lady Heroin”. Desiludido com a direção da Death Row, artistas como RBX e The D.O.C. optaram pela saída, após Suge ter ficado mais cismado com o resto da lista. Dogg Food não foi produzido por Dr. Dre, mas foi mixado pelo próprio. Dr. Dre também ficou cansado da violência de Suge dentro do selo, embora ele tenha contribuído para duas faixas no All Eyez On Me de 2Pac. O resto do álbum, no entanto, foi produzido principalmente por Daz Dillinger e Johnny J, apesar de Dr. Dre ser nominalmente intitulado como produtor executivo. O comportamento de Shakur tornou-se errático quando ele continuou suas guerras verbais com The Notorious B.I.G., Bad Boy, Puff Daddy, Mobb Deep e Prodigy, incluindo muitos confrontos violentos com muitos desses reppers em alguns pontos. Em 1996, devido às lutas internas, Dr. Dre deixou Death Row para formar sua Aftermath Entertainment, que fez 2Pac se conectar novamente a Dr. Dre.


Morte de 2Pac e prisão de Suge Knight

Anteriormente, uma frente unida de artistas, a lista de Death Row se fraturou em campos separados. Daz, agora chefe de produção, trabalhou no segundo álbum de Snoop Doggy Dogg, Tha Doggfather, que contou com Bad Azz e Techniec de seu grupo LBC Crew, e Warren G e Nate Dogg de seu grupo 213 e mais Tha Dogg Pound. 2Pac fechou-se no estúdio com Hurt-M-Badd e Big “D”, dropando o álbum The Don Killuminati: The 7 Day Theory — ao contrário de All Eyez On Me, estava desprovido de participações populares da Death Row, em vez disso apresentando The Outlawz e Bad Azz. Suge Knight já não estava mais acessível pela sua equipe, e os funcionários foram atacados como punição por não seguir ordens.

Suge (esquerda), 2Pac (meio) e Snoop Doggy Dogg.

Durante uma viagem a Las Vegas, Nevada para uma luta de seu colega Mike Tyson, 2Pac foi entrevistado sobre a possibilidade de montar uma Death Row East no Leste do país. Foi também durante esse tempo que Alex Roberts e David Kenner foram vistos no Vegas Club 662 de Suge Knight em debate sobre a possibilidade de Roberts ajudar na abertura de um caminho para a edificação da Death Row East, mas o selo nunca saiu do papel.

Em 7 de Setembro de 1996, Suge Knight e 2Pac foram capturados por câmeras de vigilância no MGM Grand Hotel em Las Vegas, atacando Orlando Anderson, um membro da Southside Crips de Compton, Califórnia (que também foi motivo de rumores por fornecer segurança aos artistas da Bad Boy). Mais tarde naquela noite, 2Pac foi baleado 4 vezes em um tiroteio dentro do carro que estava com Suge Knight, que dirigia para o Club 662 de Suge em Las Vegas; apesar de viver seis dias em estado crítico, 2Pac morreu em 13 de Setembro de 1996.

O álbum The Don Killuminati: 7 Day Theory foi disponibilizado em Novembro de 1996, apenas uma semana antes do Tha Doggfather de Snoop Doggy Dogg. Embora ambos os álbuns tenham platina, o impacto na Death Row começou a subir; Suge Knight foi condenado por violação de liberdade condicional e condenado a 9 anos de prisão, fazendo com que a Interscope deixasse seu acordo de distribuição com o selo. O controle de Suge Knight sobre o selo diminuiu, como a saída de Nate Dogg, seguido por Snoop Dogg e Kurupt. Após dropar seus álbuns solo pela Death Row, Daz Dillinger e The Lady of Rage também saíram.


Êxodo da 2ª geração

Mantendo o controle artístico mesmo por trás das grades, Suge iniciou campanhas de difamação contra seus antigos artistas, mais notavelmente Snoop Doggy Dogg. O selo apoiou-se com disponibilizações tiradas da manga — mais precisamente, vários álbuns póstumos de 2Pac, juntamente com Dr. Dre e Snoop Dogg em remasterizações e registros de compilações inéditas como Suge Knight Represents: Chronic 2000 e Snoop Dogg: Dead Man Walkin. Ele também nomeou Cold 187um para chefe de produção, para supervisionar o álbum de 2Pac, Until The End Of Time.


Da aquisição WIDEawake para E1

Em 15 de Janeiro de 2009, a Death Row foi vendida com sucesso para a empresa de desenvolvimento de entretenimento WIDEawake por $18 milhões. Em 25 de Janeiro de 2009, um leilão foi realizado incluindo tudo encontrado no escritório da Death Row depois de declarar falência. De nota, a cadeira elétrica da Death Row foi vendida por $2500.

The Chronic Re-Lit foi disponibilizado em 1 de Setembro de 2009. O álbum continha o álbum original The Chronic remasterizado e 7 músicas extras por Snoop Doggy Dogg, CPO, Kurupt, Jewell e muito mais; além de um DVD contendo vídeos de música, uma entrevista rara de Dr. Dre, um mini filme de Dr. Dre e Snoop Dogg e comerciais de televisão raras para a disponibilização original do The Chronic.

Snoop Doggy Dogg - Death Row The Lost Sessions Vol 1 foi disponibilizado em 13 de Outubro de 2009 e contém 15 faixas anteriormente inéditas com 4 produzidas por Dr. Dre.

Death Row The Ultimate Collection foi disponibilizado no dia 24 de Novembro e foi um conjunto especial contendo 3 CDs de áudio (1 disco de grandes sucessos e 2 discos de conteúdo inédito), 1 DVD de vídeos musicais que inclui o videoclipe de Dr. Dre “Puffin’ On Blunts” e uma edição limitada de uma camisa da Death Row. O conjunto possui mais de 20 faixas inéditas de gostos de: Snoop Doggy Dogg, Tha Dogg Pound, The Lady of Rage e Petey Pablo. Durante este período, houve um conflito de distribuição específico entre a E1 e a WIDEawake Death Row LLC.

Em 2012, a New Solutions Financial Corp., uma empresa canadense que possuía os direitos da WIDEawake e Death Row, faliu e estava vendendo tanto o selo como o catálogo para uma empresa aberta. O acordo encerrou em 10 de Dezembro. Em 2013, a E1 comprou os direitos sobre o catálogo Death Row, representando um dos catálogos de gêneros urbanos mais bem sucedidos da indústria da música. O grupo investiu £175 milhões em direitos de conteúdo e programas de televisão no ano (2012: £135,8 milhões) e £4,2 milhões (equivalente a 6 milhões de dólares) para comprar os ativos icônicos da biblioteca de música da Death Row.



Manancial: Wikipedia

Sem comentários