DESTAQUE

COMERCIANTES DO CAOS – PARTE UM

Biografia: Filipe Ret


Filipe Cavaleiro de Macedo da Silva Faria (nascido 19 de Junho de 1985), mais conhecido como Filipe Ret, é um repper, compositor e jornalista do Catete, Zona Sul do Rio de Janeiro. Em 2012, disponibilizou o single “Neurótico de Guerra” que antecedia seu álbum de estreia, Vivaz, que logo o consagrou em solo carioca, mais precisamente nas rodas culturais que ele se apresentava para expandir o trabalho, e mais tarde o país já estava com o disco na ponta da língua. Em 2015, disponibilizou seu segundo, Revel, corroborando seu sucesso.


O início

Filipe Ret foi nascido e criado no Catete, próximo do morro Santo Amaro. Ele deu seu primeiro passo no rep nas batalhas de MCs na Lapa, assim conhecendo o repper de São Gonçalo, Funkero, que participa de seu álbum Vivaz. A primeira vez que ele ouviu a palavra “rep” foi baseado nos Funks como “Rap do Silva”, “Rap da Felicidade”, etc., e sucessivamente foi conhecendo o rep oriundo do hip-hop. Quando criança, seu pai comprou um disco do Gabriel, O Pensador, e ele foi aprendendo a cantar as músicas, percebendo que ali foi o seu primeiro contato com algo relacionado ao rep, juntamente com o disco Usuário da banda carioca Planet Hemp, que ele ganhou em um amigo oculto. Quando jovem, Ret começou a se interessar pelas frases curtas e impactantes, ou seja, as máximas dos filósofos como Friedrich Nietzsche, Sócrates, entre outros.

Seu apelido vem da época da pichação, que ele praticava quando jovem. Isto é, “Ret” também é considerado apelido para maconha. Porém, antes disso, ele se apelidou de “Rat” (em português: Rato), mas para não ficar parecido com isso, ele optou por Ret, que justifica também seu amor pela maconha.


200915: Numa Margem Distante, Vivaz e Revel

Filipe Ret montou um duo com Mãolee chamado “Numa Margem Distante”. Como a TUDUBOM Records ainda não existia, ele gravava na casa do Mãolee as faixas que ele começou a fazer shows. Em 2009, eles disponibilizaram um projeto homônimo composto por 5 faixas, com quatro produções por Mãolee e uma por TerrorDosBeats (Cacife Clandestino). [Nota: Na época, Filipe Ret postava suas faixas no MySpace, porque o YouTube não era tão popular].

Vivaz foi disponibilizado em Dezembro de 2012, com produções de Mãolee, Daniel Shadow, Nocivo Shomon, Cafus, Dhigo e Ibrabeats, com alguns scratches por Erik Skratch (Cartel MCs). Composto por 10 faixas, o projeto teve videoclipes das faixas “Neurótico de Guerra” e “D.U.T.U.M.O.B”. Ali foi o início da sua banca TUDUBOM Records, que montou com Daniel Shadow e Mãolee. Vivaz foi o pé na porta, mostrando que sua rebeldia estava ganhando força.

Em Setembro de 2015, pelo selo Buuum do produtor Zegon (Tropkillaz), ele disponibilizou Revel, o segundo álbum. Composto por 10 faixas, teve produções de Mãolee, NAVE e Tropkillaz — a única participação foi do repper e parceiro de banca Daniel Shadow. Ademais, tiveram videoclipes para as faixas “Invicto” e “Chefe do Crime Perfeito”. Revel foi, indubitavelmente, a firmação dos pés no chão, provando que veio para ficar.


Influências e estilo

Filipe sempre teve sua influência do Funk carioca, aquela coisa dos anos 90. Porém, sua sede para se expressar extrapassava limites. Em entrevista concedida para a Noisey, ele disse: “Eu fazia uns desenhos quando era moleque e sempre tinha uma galera em volta e esse moleque tinha um boné, um cordãozão e um baseado na mão (...) Eu não tinha muita referência para desenhar aquilo, eu não sei de onde vinha. Engraçado que em vários desenhos tinha gente com arma também, aí minha mãe ficava, “Porque você desenha isso, onde você está vendo isso?” E eu respondia: “Mãe, se eu tirar o baseado da boca, se eu tirar o boné dele, tirar o cordão, botá-lo sorrindo, perde a graça para mim.”

Em entrevista para o canal FLOW no YouTube, ele disse: “Eu sempre fui muito preocupado com o que eu vou dizer. Cada um tem a sua causa. Eu não vou cantar o que Racionais MCs cantam, eu não vou cantar o que Gabriel, O Pensador canta, eu não vou cantar o que a ConeCrewDiretoria canta.” E acrescentou: “Eu sempre fui muito preocupado em encontrar uma coisa que eu verdadeiramente podia dizer. Com propriedade. Cantar sem propriedade é muito feio”, ele acrescentou: “MC tem que ser curioso.”


2009presente

Sua ascensão é extremamente notória e indubitável. Sua banca tem uma loja oficial que vende os produtos oficiais, que segundo o Ret, o dinheiro arrecadado é investido em novos equipamentos para a evolução da TUDUBOM.


Filipe Ret foi o segundo repper a estampar uma coleção de seda, mais especificamente a Raw. Em entrevista para a Noisey, ele disse: “Minha mãe ficou bolada (...) Mas eu disse para ela que isso é uma consagração para um repper. Os maiores são associados à maconha; o hip hop é muito associado a cultura da maconha. Assim como Wiz Khalifa e o Snoop Doggy Dogg, aqui no Rio a gente tem o Marcelo D2, e agora tem Filipe Ret. Foi uma honra para mim fazer essa parceria, até porque eu sempre comprei a seda Raw. O hip hop permite isso, de se vender, e o que eu estou fazendo é rep, é jogo, é atitude. Isso mostra para a molecada, também, que a gente está trabalhando, que a gente está aberto a fazer negócios, publicidade. Isso também é jogo e atitude, faz parte da cultura, do processo. Me sinto feliz de ser um dos nomes consagrados entre maconheiros.”´


Outro

Filipe Ret, antes de disponibilizar o projeto Vivaz, escrevia suas máximas em um blog, intitulado Máximas Retianas.

Para mais informações: TwitterYouTubeInstagramSite

Sem comentários