DESTAQUE

COMERCIANTES DO CAOS – PARTE UM

Suav conta como veio a idéia do novo álbum do Anonimato Rep, ‘Irmãos de Rua, Negócios de Vida’


Anonimato Rep tem sido um dos grupos de rep mais bem dedicados da cena nacional. Droparam o projeto Irmãos de Rua, Negócios de Vida dia 4 de Setembro no YouTube — que agora se encontra também nas outras plataformas —, chegaram botando para foder com a autenticidade que sempre tiveram, e agora é só colher os frutos que plantaram. Achei interessante o que Suav postou em sua conta pessoal no Facebook, e vi que isso renderia uma matéria afável.

“Decidi escrever um pouco sobre o nascimento desse disco porque para mim esse processo que a gente passou, dificilmente vamos ter um parecido. Foi único, muito espontâneo! Confiança e entrosamento sempre serão a chave.

O primeiro single que nós fizemos foi o “Segundo Ato”, em 2016, no nosso antigo estúdio que ficava lá no Morro dos Prazeres (esse foi o único som do CD que não nasceu no DuVilão, que é nosso estúdio atual); beatzão de um menor brabo que eu conheci, da Bahia (Menó Beats), e que assinou depois mais duas faixas (“Mantém o Foco” e “Irmãos de Rua, Negócios de Vida”). Na real eu tive a oportunidade de descobrir e trabalhar com diversos beatmakers pelo Brasil, e agora nego quer imitar nós, seguir nossos passos e pegar as batidas dos moleque que descobri (tomara que pegue muito e deixe nós e os menor muito ricos). [Risos]

A segunda faixa foi “Mantém o Foco”, também produzida por MenoBeats e em 2016, e foi o primeiro som que nasceu no DuVilão. Todos os processos de criação tiveram como chave eu e Hortinha que estávamos internados no estúdio; exceto a “Vambora” que foi eu e Diniz... mas todo mundo SEMPRE focado, graças a Deus. Quando virou para 2017, nós passamos por uma reformulação da banda; saiu um integrante, tivemos que começar então um novo disco que seria então nessa formação: eu, Diniz, Horta e DJ HS). Os dois singles que estavam prontos na gaveta nos fizeram enxergar que eles eram a porta de entrada para essa nova etapa. Comecei então a procurar as batidas que fariam parte desse novo trampo, que teve até um episódio engraçado. [Risos] Fiz um post procurando beatmakers, um dos moleques que comentou no post mostrando o trampo, eu escolhi três beats dele e pedi para ele, ele não tinha nem me dado um ainda, pedi três. [Risos] Ele me chamou de cara-de-pau mas me deu um.

A vida seguiu e nasceu a “Wasabi”. Depois que o Doze Beatz escutou essa faixa ele ficou maluco e mandou as outras batidas querendo somar com nós no projeto… isso me deu MUITA inspiração. O projeto começava a tomar uma proporção maneira.

O nome do CD nasceu num dia que estávamos no estúdio fazendo um churrasco e biritando uma vodka e o Renato Sheik do CortesiaDaCasa estava com nós. Bizarro que esse é nosso segundo CD que ele faz parte da faixa que intitula o trampo e isso não foi combinado. Hortinha dizia que “esse CD tinha que vir com um nome que tivesse um propósito e não apenas um nome para a obra”. “Irmãos de Rua, Negócios de Vida” foi o nome que achamos que traduzia muito a nossa perspectiva de vida atual e condiz com o que as músicas remetiam; ter o rep como missão nesse plano; fechamos o nome do CD embrazado no estúdio e escrevendo a faixa 1.


De um tempo para cá, a vida me mostra que nada é por acaso, o Anonimato Rep me ensina isso todo dia, e os meus manos também. A gente não se abalou com as decepções do caminho porque a gente sempre dá nosso jeito de botar nosso trampo na rua e Deus nos ajuda. Foi assim com o Charles Boriccelli, que a gente já conhecia de pista mas ainda não tínhamos oportunidade de trabalhar. Ele fez a mix e a master com MUITA atenção e dedicação, e hoje é nosso braço forte. O Wilmore (@youknowmyface), que juntou com a CaCa fizeram uma capa MONSTRA e conceitual para o disco, e a Julinha que fez a animação.




Escrevi para caralho mas ainda tem coisa para falar. Onde quero chegar é o seguinte: algumas pessoas viraram as costas para a gente enquanto a gente trabalhava e mostrava na prática nossa disposição. Se nós fosse cuzão nós usava isso como desculpa, mas botamos a cara e fomos à luta, e no fim das contas quem somou com nós foram pessoas de muito bom coração e ótimos profissionais. Espero que esse disco seja ouvido milhões de vezes e que as pessoas absorvam a mensagem nele!
São anos fazendo rep e abrindo mão de coisas por ele mas só agora sinto uma energia que me traz confiança. Cada pessoa que curtiu, compartilhou o trampo, mandou mensagem… agradeço de coração, essa é a nossa vida.”

Sem comentários