DESTAQUE

COMERCIANTES DO CAOS – PARTE UM

Eminem, 50 Cent e Dr. Dre: Ameaça Tripla

[Este artigo foi originalmente publicado em Fevereiro de 2003 pela XXL]



A celebração do emblemático álbum de 50 Cent, Get Rich Or Die Tryin’, continua até hoje, e devido ao sucesso deles, Eminem, Dr. Dre e 50 Cent passaram a ser considerados o “Triple Threat”. Confira os gigantes do hip-hop em seus dias um pouco mais jovens, discutindo então suas brigas com Ja Rule, The Source e muito mais.


A casa de Eminem! E ele trouxe o maior produtor de hip-hop, Dr. Dre, e sua próxima grande estrela, 50 Cent, para discutir todas as suas desavenças. A temporada Shady Records/Aftermath Entertainment começou. Você pode odiá-los agora.


Palavras por RiDuLe KillahNoah Callahan-Bever


Senhoras e senhores, filhos de todas as idades...

Rep é um circo. Vá para a frente e testemunhe o espetáculo dos três anéis. Palhaços, malabaristas, acrobatas e homens fortes, todos estão querendo os holofotes. Mas fica quente sob aquele brilho. E não apenas da potência da lâmpada. É o olhar ardente de um milhão de olhos ciumentos. É saber que você é um alvo, todos querendo sua posição. O sucesso gera inveja. É apenas a pena da liderança. O topo é, apenas quem quer que seja, uma merda. Vamos chamar isso de Princípio All Eyez On Me (graças ao 2Pac).

Na época, não havia dúvida de quem era a atração principal do hip-hop. Tendo vendido mais de 20 milhões de discos ao longo dos últimos quatro anos e gerado mais de $100 milhões na bilheteria com um filme (8 Mile) bem sucedido com base em sua vida, Eminem simplesmente abriu um grande buraco no topo. Ele se tornou uma figura global da cultura pop. Ele é Elvis Presley, Madonna, Michael Jackson. Claro, isso nunca teria sido possível sem as contribuições, a tutela e a parceria do maior produtor da história do hip-hop, a figura musical mais importante dos últimos 25 anos (Sim. Nós dissemos isso) Dr. Dre.

Então, quando parecia que as coisas não podiam melhorar para Em e Dre, eles fizeram um movimento que parecia tacar fogo no futuro. Em uma junção fabulosa entre a Shady Records de Eminem e a Aftermath Entertainment de Dre, o par assinou contrato com o nome mais rápido no jogo do rep: 50 Cent.

50 Cent mostrou que tinha um talento ímpar para fazer as pessoas se sentirem desconfortáveis. O viciado, o destemido repper de South Jamaica, Queens (que chegou na indústria em 1999 com o hino How To Rob”) foi esfaqueado em uma briga em Março de 2000 pela equipe de assassinos de Ja Rule, e que disparou nove vezes em um incidente não relacionado dois meses depois, apenas por ter surgido no verão passado como a mercadoria mais quente das ruas. Nova York estava pulsado constantemente com os refrões de 50, sua língua afiada e seu flow memorável. Não havia nada parecido como isto desde Notorious B.I.G. de Bed-Stuy.

Invoque o princípio acima mencionado... agora. Primeiro, em uma entrevista na revista publicada no verão de 2003, Ja Rule disse que tentou derrubar” Em e Dre por assinarem com 50. Em Novembro, na rádio Hot 97 de Nova York, Ja e o seu chefe da Murder Inc., Irv Gotti, acusou 50 Cent de ser um informante da polícia.

As coisas ficaram ainda mais estranhas em Novembro de 2002. Assaz natural, o repper de Boston e o “co-proprietário” da revista The Source, Raymond “Benzino” Scott, começaram a desprezar Eminem publicamente — primeiro em um freestyle ao vivo, que alvejava o superastro pelo seu uso da segurança profissional e, em seguida, em uma mixtape exclusiva de três versos, Pull Your Skirt Up”, que o atacou por não representar as ruas, não respeitar sua própria mãe e geralmente por ser um mentiroso. Eminem respondeu com duas músicas próprias: The Sauce”, uma ironia viciosa sobre Benzino e o editor da The Source, Dave Mays, onde questionou a integridade da revista, e a mais sinistra, a pessoal Nail In The Coffin”.

Sem pensar em parar, Benzino retaliou com Die Another Day”. A rixa, de uma faixa sobre habilidades para uma sobre raça, ele rotulou Eminem de “Hitler do rep” e desejou sua morte e a de sua filha.

Embora nas entrevistas de rádio Benzino dissesse que mantinha seu vínculo com The Source e sua carreira de rep completamente separada, ele levou a guerra ou as palavras para a revista (Sayin’ that I’m broke, you must be crazy/ Every time you’re in The Source your label has to pay me”). Da mesma forma, The Source emitiu um comunicado de imprensa que afirmou a objetividade da revista, e continuou dizendo que Eminem representa uma máquina perigosa” que ameaça tirar o hip-hop das mãos da comunidade negra que o criou.

Aqui é onde as coisas ficam complicadas para a XXL. Como se alguém precisasse ser lembrado, a revista que você mantém em sua mão está em concorrência direta com The Source. Ao se envolver em uma disputa musical entre seu co-proprietário e uma celebridade do rep, a publicação rival da XXL se fez parte de uma história que era seu trabalho cobrir. O objetivo deles era documentar um dos episódios mais estranhos na história da música rep, não apenas fornecer um fórum para os maiores começos do negócio para eles serem concorrência.

À medida que as várias partes se alinhavam estrategicamente, Eminem, Dr. Dre e 50 Cent estavam em Los Angeles, dando os últimos retoques no álbum Get Rich Or Die Tryin’ de 50. A XXL pegou os três malandros no set do vídeo para o primeiro single oficial In Da Club”, onde eles estão num momento para se sentar e discutir a situação em que se encontravam.

Rep é um circo. Bem-vindo ao maior show na Terra.




Manancial: XXL Magazine

Sem comentários