DESTAQUE

COMERCIANTES DO CAOS – PARTE UM

Explorando o álbum ‘Ready to Die’ de Notorious B.I.G. através dos números


Notorious B.I.G. fez mais do que apenas entregar um ótimo álbum em 1994 com Ready to Die. Ele escreveu uma história que seria compartilhada por milhões. Criado por um mundo de violência e paranoia encontrado nas ruas angustiantes de Bedford-Stuyvesant, Brooklyn — 226 St. James Place, para ser exato —, o ex-traficante de drogas virou um traficante-rimador que canalizava suas queixas e frustrações para um álbum que relatava sua jornada de vida naquele momento.

A partir da ganância ameaçadora de “Gimme the Loot”, para a vulnerabilidade crua da faixa-título e a tristeza de drenagem da alma de “Everyday Struggle”, a estréia exaltada de Biggie insinuou que nenhum outro MC poderia ser tão impactante como ele. Posicionando uma dupla ameaça, alinhando perfeitamente suas magnificentes faixas de rua fortes e sujas (“Warning”, “The What”) com registros prontos para uso comercial (“Juicy”, “Big Poppa”), Ready to Die passou a vendas impressionantes enquanto fazia de Biggie Smalls uma estrela extremamente cintilante.




TRADUÇÃO


Ano: 1994
Duração: 1:08:59
Faixas: 17
Produtores: 8
Faixas produzidas por Easy Mo Bee: 9
Artista convidado: 1 (Method Man)
Posição de estréia nas paradas da Billboard 200: 15
Samples incluídos na faixa “Intro”: 4: Curtis Mayfield “Super Fly”, Sugarhill Gang “Rappers Delight”, Audio Two “Top Billin” e Snoop Dogg “Tha Shiznit”
*Quanto tempo de sentença foi dado na faixa “Gimme the Loot”? 1 a 3
Versos censurados no álbum: 3
Shout out (uma expressão pública de agradecimento ou gratidão) no Brooklyn: 5
Referências a nomes estranhos: Olivia Newton-John, Mayor Giuliani, Shaquille O’Neal, Christopher Williams, Charles Dickens, Robin Leach, CeCe Penistont e Kwamé
Hora que o pager do B.I.G. apita: 5:46 da manhã
O preço mais alto que um pager via satélite da Motorola pode custar no Ebay: $300
Diferentes tipos de armas mencionadas: 7
Itens que B.I.G. e seu “cúmplice” mencionam roubar na “Gimme the Loot”: 11
Menções da [bota] Timberland: 4
“Tiros” em homenagem aos seus “niggas na penitenciária”? 16
“Vadias” que ligam para seu telefone na paródia da faixa “One More Chance”: 4
Número de vezes que Lil’ Kim diz “filho da puta” na faixa “Fuck Me (Interlude)”: 6
Número de DJs mencionados na faixa “Juicy”: 7
Idade que ele tinha quando estava “fumando maconha e fazendo sonhos”: 13
*Quantas maneiras B.I.G. pode “cozinhar”? 357
Vezes que o celular de Diddy toca em “Suicidal Thoughts”: 2



*1: 
Esta linha pode ser uma referência a Biggie e seu amigo Damien “D Roc” Butler quando ambos foram presos pela polícia por posse de armas. O policial lhes disse que só poderia incriminar um  deles, já que havia apenas uma arma. Como Biggie já tinha um contrato de gravação, seu amigo assumiu a bronca. Damien serviu 3 anos, o que é exatamente o que Biggie afirma na música — de 1 a 3 anos.

*2: Na música “Unbelievable”, Biggie diz: “Tenho 357 maneiras para cozinhar”. Isto é, Biggie carrega uma arma de fogo .357 (provavelmente uma Desert Eagle). Por sinal, Biggie irá cozinhar você (explodindo você) com o calor dela (pistola).




Manancial: XXL Magazine; Genius

Sem comentários