DESTAQUE

COMERCIANTES DO CAOS – PARTE UM

Lowriders e sua abrupta influência no Hip-Hop



A cena do rep nos Estados Unidos durante os anos 90 enfatizou de modo demasiado a cultura lowrider. Artistas como Nationwide Rip Ridaz, The Game, Warren G, Nate Dogg, Snoop Doggy Dogg, Ice Cube, Dr. Dre, Tweedy Bird Loc, Kurupt, Daz Dillinger, B.G. Knocc Out, MC Ren, Dresta, Eazy-E, Mad CJ Mac, King Tee, MC Eiht, entre outros viviam exaltando isso em suas músicas e ostentando nos videoclipes extremamente ímpares.

Alguns filmes também honraram o escudo lowrider, como Os Donos da Rua (1991), Perigo Para a Sociedade (1993), Confusões no Lava-jato (2001), Dia de Treinamento (2002), Baby Boy - O Dono da Rua (2001). Também tinham as gangues Crips e Bloods, que vários reppers eram membros.

Crips e seus sets:

Scarface (Atlantic Drive Crips)
MC Ren (Kelly Park Compton Crips)
Big Syke (Inglewood Imperial Village Crips)
W.C. (111 Neighborhood Crips)
Ice-T (Hoover Crips)
MC Eiht (Tragnew Park Compton Crips)
Eazy-E (Kelly Park Compton Crips)
Snoop Doggy Dogg (Rollin’ 20’s Crips)
Nate Dogg (Rollin’ 20’s Crips)
Warren G (Rollin’ 20’s Crips)
Kurupt (Rollin’ 20’s Crips)
Mad CJ Mac (Rollin’ 20’s Crips)
Daz Dillinger (21
s Street Crips)
Tweedy Bird Loc (Kelly Park Compton Crips)
B.G. Knocc Out (Nutty Blocc Compton Crips)
Dresta (Nutty Blocc Compton Crips).

Bloods e seus sets:

The Game (Cedar Block Bloods)
Mack 10 (Queen St Inglewood Bloods)
Waka Flocka Flame
DJ Quik (Compton Tree Top Piru Bloods)
B-Real (89th Street Family Bloods)
Damu Ridas (Denver Lane Bloods)
Lil Wayne
Birdman


Um fato extremamente interessante que compensa ser enfatizado foi a união das duas gangues na colaboração de dois álbuns 
— e uma possível tentativa de trégua entre a guerra profunda que eles viviam , que teve duas versões. O primeiro disco saiu oficialmente em 9 de Março de 1993, intitulado Bangin’ On Wax. Dele saíram os singles “Piru Love”, “Bangin’ On Wax”, “Steady Dippin’” e “Crip, Crip, Crip”. O álbum repercutiu muito, e vendeu mais de 500 mil cópias, ganhando certificado de ouro, indo fazer uma visitinha na posição #86 da Billboard 200.

O segundo, Bangin’ On Wax 2... The Saga Continues foi disponibilizado em 13 de Setembro de 1994, mas não foi tão enfatizado assim quanto o primeiro, mas teve dois videoclipes  “Wish You Were Here” e “G’s & Locs”. — RiDuLe Killah


História

Lowrider (também low rider) é uma classe ou espécime de veículo personalizado. Distinguidos de um veículo normalmente rebaixado, são personalizados e geralmente pintados individualmente com desenhos díspares e coloridos, montados em rodas wire-spoke de 13 polegadas com pneus de parede branca e equipados com sistemas hidráulicos, assim permitindo que o veículo seja levantado ou abaixado, com o proprietário comandando. Vede! Nem todo carro rebaixado é um lowrider. O termo é usado para descrever uma classe de veículo, não simplesmente a altura do chassi ao chão.

A febre começou em Los Angeles, Califórnia, no meio da década de 1940 e durante a prosperidade pós-guerra da década de 1950. Inicialmente, alguns jovens mexicano-americanos colocavam sacos de areia no porta-malas de seus carros personalizados para que o efeito rebaixado fosse enfatizado. Este método foi substituído pela redução de blocos, cortes de mola, molas z'ed e brocas. A contundência dos lowriders é andar mais lentamente possível, porque “Low and Slow” é o lema deles. O design dos carros incentivou uma “perspectiva bi-focal” — eles são engendrados para serem assistidos. No entanto, isso resultou em uma contração: em 1 de Janeiro de 1958, a promulgação da Seção 24008 aprovou a lei que proibisse o uso de qualquer carro que tenha o fundo maior que as rodas.

Em 1959, um customizador chamado Ron Aguirre desenvolveu uma forma de esvair-se da lei com o uso de bombas e válvulas hidráulicas. No ano seguinte, viu o surgimento do Chevrolet Impala, que apresentou uma estrutura impecavelmente adequada para baixar e se encaixar com a hidráulica.

Entre 1960 e 1975, os customizadores adaptaram e refinaram técnicas GM X-frames, hidráulicas e de aerografia para criar o estilo lowrider moderno. Hoje, a cena baixa é diversificada, com muitas culturas díspares participantes, marcas de veículos e estilos visuais. Essencialmente, todas as opções disponíveis para o criador de automóveis personalizados de hoje também estão disponíveis para o construtor de um lowrider, e o estilo lowrider varia muito de região para região, pois nem todos são monocórdicos.




Manancial: RiDuLe Killah; Wikipedia

Sem comentários