DESTAQUE

COMERCIANTES DO CAOS – PARTE UM

O impacto causado por ‘The Marshall Mathers LP’ do Eminem


“Quando conheci Dre, eu já tinha a visão de onde queria chegar, e ele me mostrou como chegar lá. Nós dois tínhamos a mesma visão para mim, e Dre me mostrou como realizar aquilo.” — Eminem



Depois de assinar com Dr. Dre, Eminem dropou um álbum que explodira mundialmente: The Marshall Mathers LP. O impacto desse projeto foi tão grande que superou Doggystyle do Snoop Doggy Dogg no que diz respeito a vendas altas rapidamente, vendendo 1,76 milhões só na primeira semana. “São números astronômicos”, comentou Shirley Halperin, repórter de Hollywood. “Se alguém tinha dúvida sobre o estrelado dele e sobre até onde Eminem chegaria como artista, The Marshall Mathers LP mostrou que ele veio para ficar.”

O primeiro single, “The Real Slim Shady”, fez um sucesso estrondoso. “O refrão diz: ‘The real Slim Shady, please stand up.’ A ideia dessa canção”, lembrou Eminem em uma entrevista, “era dizer que existe um Slim Shady em todos nós. Todos têm um lado Slim Shady. No clipe peço que o verdadeiro se levante, e todos se levantam, porque todos o têm dentro de si. (...) Slim Shady é o cretino que vive escapando de dentro de mim.”

Nesse projeto, Eminem não poupou ataques. Ele percebeu que os garotos adolescentes odeiam essas coisas artificiais, chamativas que não faziam parte da realidade. Seus olhos abriram mais e sua mente se expandiu para lugares reais, fazendo com que ele dissesse cada vez mais verdades através de suas músicas. Argumentos sobre homossexuais, raças, mulheres, etc. o tornavam cada vez mais díspar, e a crítica da mídia, assim como o difamava, atraía uma imensidão de novos admiradores.

Eu disse algumas coisas sobre grupos de rapazes e moças e outras coisas sobre outras pessoas, quer merecessem, quer não. Acho que merecem se são bregas. São um bando de maricas, basicamente. — Eminem

Seguindo a linha do deboche e da zoação incansável, ele cuspiu linhas intrigantes para quem o detestava na “The Real Slim Shady”: “Vou sentar ao lado da Britney Spears?/ Christina Aguilera, troque comigo/ Quero ouvir Carson Daly e Fred Dursty discutindo sobre quem você chupou primeiro.”

Falando sobre destruição, ele se tornou uma máquina mortífera com sua lírica no hip-hop. Vede na “Without Me”, onde ele atacou ferozmente Moby, um artista do techno que na época (1999) estava bombando: “Moby, vai ser pisoteado por Obie [Trice]/ Você está com 36 anos e careca/ Não me conhece, está velho, acabou/ Ninguém escuta techno.” Eminem afirmou que era o fim da carreira dele, zombando de sua arte.

Não deixando de lado a emblemática “Stan”, que carrega exacerbadamente a música “Thank You” da cantora inglesa Dido, foi ela quem levou Em para as rádios. Ele enfatiza seu jeito de lidar com a fama crescente, assumindo também o papel de um fã alucinado após matar a namorada grávida.
“A intensidade, a letra e o clipe carregam a ideia e o sentimento de que é possível ter um fã que espera demais sem nem ter te conhecido”, comentou Shirley Halperin. “Ele mostrou seus sentimentos como lida com fãs, o que acha deles e do fato de que querem algo dele. As pessoas sempre querem atenção dele. Aquilo foi extremamente válido.” No fim da faixa, finalmente ele responde as cartas que recebeu dos fãs, pedindo desculpa pelo atraso; mas é tarde demais, porque Stan matou a esposa, o filho não-nascido e também si mesmo. “Isso mostra algo desesperador para Eminem”, disse Dr. Peter Hughes, expert em psicologia. “‘O que posso fazer? Nunca darei a essas pessoas o que querem, e elas farão de mim o que quiserem.’”

Botando para foder, ele emergiu-se em 2000 com a canção “Kim”, sobre a morte da mesma. É uma música onde quem ouve acha que ele não cabe mais em si, é uma loucura, quer matar sua esposa... Mas não, é a raiva e a dor que ele sente, a fantasia que ele tem, pois a realidade de Eminem é diferente. Seu alter ego o faz expressar a raiva e a dor impotentes e não expressas. Não é algo que ele faria de verdade.

No mesmo ano, Marshall foi preso por agredir John Guerrera, que estava beijando Kimberly num bar. [Ainda no mesmo ano,] ela tentou se matar cortando os pulsos. E, no começo de 2001, Eminem pediu o divórcio após a segunda condenação dela por dirigir embriagada. Ela pediu $100 milhões por difamação na canção “Kim”. Numa entrevista, Kim deixou claro que culpava a fama dele pelo fim violento do relacionamento. “Parece que desde que ele ficou famoso”, comentou Kim, “nossa relação só piorou. Ele ficou arrogante, metido, e fazia coisas por mim e pelas crianças pedindo elogios.”








Manancial: RiDuLe Killah; Behind the Lyrics - Eminem

Sem comentários