DESTAQUE

COMERCIANTES DO CAOS – PARTE UM

Bad Boy For Life: 20 fatos sobre o disco de Puffy Daddy & the Family ‘No Way Out’


Em 1 de Julho de 1997, No Way Out — um dos maiores álbuns sísmicos de todos os tempos — alterou a paisagem do rep para sempre. Mais do que um trabalho clássico, o álbum de estréia marcou a conclusão da evolução de Sean “Puffy” Combs, o executivo de música de alta potência, chefe de selo e produtor, a uma das maiores estrelas do rep no planeta.

Exibindo um carisma brilhante durante seus dias como um A&R com a Uptown Records com famosos que roubam cenas em vídeos musicais de seus artistas, Puffy possuía muitas das características que tornam uma superestrela. Com o incentivo de Notorious B.I.G., Combs decidiu gravar um álbum próprio. Reunindo sua lista de produtores internos, The Hitmen, Puffy e companhia farão uma excursão para os trópicos e se agacharão no estúdio, criando material que acabaria com lançamentos multi-platina do The Notorious B.I.G. (Life After Death) e Ma$e (Harlem World), bem como o projeto de estimação de Puffy, No Way Out.

Lançado em 1 de Julho de 1997, No Way Out estreou no número 1 da Billboard 200, com 561.000 cópias vendidas em sua primeira semana de lançamento, e iria vender mais de sete milhões de cópias somente nos EUA, tornando-se o disco selo mais vendido  na história do selo. No rastro da trágica morte de Biggie, Puffy e The Bad Boy Family se uniram para um dos primeiros álbuns de sucesso no rep, que ajudou a definir uma era e é o símbolo do auge do domínio da gravadora sobre a música mundial.

A VIBE desenterrou 20 fatos interessantes sobre o álbum que vão te surpreender e dar uma visão sobre como foi feita essa obra-prima.



1. No Way Out Ganhou o Prêmio Grammy de Melhor Álbum de Rep em 1998

Em 1998, a categoria Grammy Awards de Melhor Álbum de Rep foi carregada com os principais lançamentos de alguns dos maiores sucessos do rep, com Supa Dupa Fly, de Missy Elliott, Wyclef Jean, Wyclef Jean Presents The Carnival; Notorious B.I.G., Life After Death; e Wu-Tang Clan, Wu-Tang Forever todos recebendo indicações. Apesar de todos os álbuns terem casos fortes para consideração, no final, No Way Out levou para casa o prêmio, um dos dois prêmios Grammy que Puffy ganharia na cerimônia daquele ano, o outro sendo Melhor Performance de Rep por um Duo ou Grupo por “I’ll Be Missing You”.


2. No Way Out não era o título original do álbum

A estréia de Diddy foi inicialmente marcada como Puff Daddy & The Goodfellas, uma extensão da imagem mafiosa que a gravadora havia assumido durante seu reinado. Uma mudança de coração faria com que Diddy mudasse o título provisório para Hell Up in Harlem antes de se decidir pelo título de No Way Out após a morte de Biggie.


3. Young Gs — Biggie gravou seu verso anos antes de ser lançado

“Young Gs” é um dos três casos em que The Notorious B.I.G. apareceu nas faixas usando os vocais originais e o último dos três que o mundo seria abençoado por ouvir. Mas em contraste com “Brooklyn’s Finest” e “I Love the Dough”, Jay-Z e Biggie não trabalharam juntos no álbum, já que o verso de Biggie foi gravado durante uma sessão do Ready to Die, mas seria resgatado pelo produtor Rashad Smith e Puffy após sua morte. Puffy então chamou Jay-Z para aparecer na faixa, resultando no clássico que conhecemos e amamos hoje.


4. A maior parte da produção de No Way Out foi feita no Caribe.

No auge da rixa Costa Leste versus Costa Oeste, Diddy decidiu levar seu acampamento de produtores locais, The Hitmen, para Maraval, Trinidad, com o objetivo de criar faixas de sucesso que dominariam a rádio no futuro previsível. Acampar no estúdio Caribbean Sound Basin, Diddy, The Hitmen e uma equipe de engenheiros criaria a base do som que levaria o sucesso da Bad Boy e atrairia a estratosfera.


5. Victory” é um dos vídeos musicais mais caros de todos os tempos

A segunda metade dos anos 90 foi dominada por visuais inovadores, com Missy Elliott e Busta Rhymes elevando a parada do que um videoclipe de rep poderia ser, mas em termos de quebrar o banco, Puffy os derrotou. “Victory”, o quinto single lançado de No Way Out, seria acompanhado por um vídeo de grande orçamento, dirigido por Marcus Nispel, e incluía participações especiais dos atores Dennis Hopper e Danny Devito, bem como da socialite britânica Tamara Beckwith. Com um custo de produção de $2.700.000, “Victory” é o 9º vídeo mais caro de todos os tempos, e continua sendo o vídeo de rep mais caro feito até hoje.


6. A faixa-título pretendida de No Way Out não aparece no álbum

Uma semana antes do lançamento de No Way Out, a trilha sonora do filme Money Talks, de 1997, estrelado pelo ator e comediante Chris Tucker, chegou às lojas. A trilha sonora contou com as contribuições de Mary J. Blige, Naughty By Nature, SWV e Deborah Cox, entre outros nomes notáveis, mas foi dominada pela Bad Boy Family, com Diddy, Lil’ Kim, Ma$e, Black Rob, Faith Evans e Lil’ Cease fazendo aparições. “No Way Out”, uma das muitas músicas da trilha sonora com a impressão digital da Bad Boy, contou com Puffy, Black Rob e a vocalista Kelly Price, e foi planejado para ser incluído em No Way Out, mas acabaria não aparecendo a trilha sonora final.


7. Exceto uma, todas as faixas de No Way Out foram produzidas pelos Hitmen

Os produtores de Diddy, The Hitmen, criaria a totalidade das batidas em No Way Out, fora de uma música do álbum, que também é uma das melhores. Aquela música, “Young Gs”, que continha The Notorious B.I.G. e Jay-Z, foi produzido por Rashad Smith, um dos maiores produtores da Costa Leste, com créditos em discos de nomes como LL Cool J, Nas, The Notorious B.I.G., Busta Rhymes e A Tribe Called Quest. Embora The Hitmen legitimamente consiga uma grande quantidade de créditos para criar o som de No Way Out, a contribuição de Smith para o álbum provou ser inestimável.


8. “It’s All About The Benjamins” originalmente lançado em uma mixtape

O jogo da mixtape durante os anos 90 foi um jogo construído sobre exclusividades. DJ Clue era o rei reinante de ganhar acesso a músicas que ninguém mais tinha e incluí-las em suas mixtapes, criando instantaneamente um barulho nas ruas. Em 1996, em sua mixtape, havia uma música intitulada “All About the Benjamins”, que contou com Puffy marcando presença ao lado de Jadakiss e Sheek do The Lox, uma faixa que ajudaria a impulsionar o apelo da Bad Boy e torná-lo um dos mais quentes registros na rua. Embora a versão remixada seja a que governou a segunda metade de 1997, a original permanece uma jóia própria.


9. “It’s All About The Benjamins” inclui um arranjo vocal sem créditos de Missy Elliott

Missy Elliott é mais conhecida por sua própria música, mas nos bastidores, ela também é conhecida como uma das mais talentosas compositoras de hip-hop e R&B. Sem o conhecimento de muitos, Missy também emprestou seus talentos para “It’s All About the Benjamins”, organizando o refrão popular que domina o álbum. Embora o arranjo vocal não tenha sido creditado, isso fala da quantidade de talento envolvido na produção dessa obra-prima.


10. O videoclipe de “It’s All About The Benjamins (Rock Remix)” foi nomeado para Vídeo do Ano no 1998 MTV Music Video Awards

O Rep e o Rock colidiram em muitas ocasiões ao longo das últimas quatro décadas, mas um dos momentos mais memoráveis foi quando Diddy uniu forças com Tommy Stinson, Fuzzbubble, Rob Zombie e Dave Grohl para “It’s All About the Benjamins”. O remix foi acompanhado por um vídeo dirigido por Spike Jonze, que ganhou uma indicação para Vídeo do Ano no 1998 MTV Video Music Awards, mas acabou perdendo para “Ray of Light” de Madonna.




11. Styles P. originalmente teve um verso sobre “It’s All About the Benjamins”

Styles P. transformou-se em um dos versos mais ferozes sobre No Way Out para o registro assistido por Lox “I Got the Power”, mas também apareceu no “All About the Benjamins (Remix)” teve seu verso de abertura não foi substituído por Diddy. Originalmente uma música solo do The Lox, o então chamado “Puff Daddy” gostou tanto que decidiu usá-lo para o seu próprio álbum, e o resto é história.


12. “I’ll Be Missing You” foi a primeira música de rep a ser apresentada em primeiro lugar na Billboard Hot 100

Pode ser difícil acreditar nos dias de hoje, mas em um ponto no tempo, um rep no topo das paradas foi um grande negócio, mas ter uma estréia de música no número 1 da Billboard foi uma façanha inédita. Até que “I’ll Be Missing You” fosse lançada, é claro. O segundo single lançado de No Way Out foi a dedicação da Bad Boy à vida e legado do The Notorious B.I.G. Ele estreou no topo das paradas da Billboard em 14 de Junho de 1997 e manteve a posição por 11 semanas consecutivas até que “Mo Money Mo Problems” se mudou para o número 1 em 30 de Agosto. Foi a primeira vez que um rep conseguiu tal feito.


13. Os versos de Notorious B.I.G. sobre “Victory” foram os últimos que ele registrou

Notorious B.I.G. fez várias aparições em No Way Out, mas apenas três de seus quatro versos no álbum foram gravados com essa intenção. A salva de abertura do álbum, “Victory”, inclui dois de seus versos, que foram gravados um dia antes de ele ser fatalmente assassinado e seriam as últimas rimas que o repper soltou no estande.


14. A capa do álbum foi tirada em Miami

A eterna capa do álbum No Way Out foi originalmente programada para ser capturada pelo fotógrafo Michael Lavine. No entanto, a foto seria capturado pelo veterano fotógrafo Michael Benabib, que entrou no último minuto para substituir Lavine. Tirada no inverno de 1997, durante o fim de semana do Super Bowl XXXI, a capa de No Way Out apresenta Bad Boy Family vestidos de terno, espelhos com a vibe mafiosa do título original do álbum, tornando-se uma das capas mais reconhecidas na história do hip-hop.


15. Músicas gravadas para No Way Out terminaram em outros álbuns da Bad Boy

Ao contrário de sua reputação como um oportunista astuto quando se trata de gravar músicas, Diddy também foi instrumental em montar seus artistas com material que ajudaria a impulsionar seus próprios projetos, como foi o caso do material de sala de corte que não fez No Way Out. Com membros do Bad Boy como Ma$e, The Lox, e Black Rob tendo ainda que lançar suas próprias estréias no momento do lançamento de No Way Out, várias faixas voltadas para No Way Out terminariam nesses álbuns nos anos subsequentes.


16. Lil Kim escreveu as letras de “What You Gonna Do”

The Notorious B.I.G. é creditado por escrever a maior parte do material inicial de Lil’ Kim, no entanto, de acordo com o engenheiro Stephen Dent, que fez parte do making of de No Way Out, Lil’ Kim também era rápida com a caneta, alegadamente emprestando a ela talentos para a faixa do álbum “What You Gonna Do”, entre outras.


17. “If I Should Die Tonight (Interlude)” é a primeira aparição listada de Carl Thomas em uma música da Bad Boy

Após o sucesso do R&B, Faith Evans, Total e 112, Bad Boy lançaria outro cantor, Carl Thomas, que mais tarde lançaria seu primeiro álbum de 2000, Emotional, no selo. Apesar de seus vocais aparecerem no álbum Life After Death do Notorious B.I.G., sua primeira participação como membro da Bad Boy Family foi no interlúdio No Way Out, “If I Should Die Tonight”. Entregando vocais apaixonados em meio aos pensamentos solenes de Diddy, a contribuição de Carl Thomas para No Way Out é relaxante e familiarizou o público com o vocalista tenor de seda.


18. Kelly Price contribui com voz substituta em três canções

Antes de pegar seu grande sucesso como artista solo, a cantora de R&B Kelly Price foi uma das integrantes da Bad Boy, embora nos bastidores, onde ajudou com composições, arranjos vocais e vocais de fundo. Em No Way Out, Kelly Price oferece vocais em três músicas: “Don’t Stop What You’re Doing”, “Do You Know”, e “Young Gs.”


19. Sauce Money ajudou a escrever “I’ll Be Missing You” e “Do You Know”

Mais conhecido por suas aparições ao lado de Jay-Z, além de ser um artista solo, Sauce Money também foi um dos compositores fantasma mais procurados de sua época, com suas letras aparecendo em alguns dos maiores sucessos da década. As habilidades de Sauce Money seriam bem aproveitadas em No Way Out, com o letrista do Brooklyn escrevendo as letras de Diddy em “I’ll Be Missing You”, assim como a faixa “Do You Know”, ganhando um Prêmio Grammy no processo.


20. “I Love You Baby” era originalmente para o álbum de Black Rob

Notória por sua propensão a ter uma coisa boa e torná-la melhor, durante a produção de No Way Out, Diddy pegou material inédito de alguns talentos de sua gravadora, procurando por músicas para incluir em seu próprio álbum. Um desses casos ocorreu com o destaque de No Way Out, “I Love You Baby”, com Black Rob, que faz uma performance de roubo de cena, que criou a demanda por seu eventual álbum solo, Life Story. Mas o que muitas pessoas não sabem é que “I Love You Baby” era originalmente uma música solo de Black Rob, com Diddy substituindo o terceiro verso de Rob pelo seu, resultando na faixa que todos conhecemos e amamos hoje.





Manancial: VIBE

Sem comentários