DESTAQUE

COMERCIANTES DO CAOS – PARTE UM

Resenha: Puffy Daddy, Faith Evans, 112 “I’ll Be Missing You”


“I’ll Be Missing You” é uma canção gravada pelo repper americano Puffy Daddy e pelo cantora americana Faith Evans, com o grupo de R&B 112, em memória do colega Christopher Wallace, a.k.a The Notorious B.I.G., da Bad Boy Records. Wallace, que foi assassinado em 9 de março de 1997.

Lançado como o segundo single de Puffy Daddy and the Family do álbum No Way Out, “I’ll Be Missing You” sampleia o hit “Every Breath You Take” de 1983 do The Police, com um refrão interpolado cantado por Evans. A faixa também apresenta uma introdução falada sobre uma versão em coral de “Adagio for Strings”, de Samuel Barber. Em 1998, a música ganhou o Grammy Award de Melhor Performance de Rep por um Duo ou Grupo. O single passou 11 semanas no topo da Billboard Hot 100 durante o verão de 1997. Com vendas mundiais provavelmente superiores a 8 milhões, incluindo remessas de 3 milhões de cópias nos Estados Unidos e mais de 1 milhão na Alemanha e no Reino Unido, a música tornou-se um dos singles mais vendidos de todos os tempos. Em Fevereiro de 2016, foi classificada como a 99ª maior música de todos os tempos nos EUA, de acordo com a Billboard.

A música já havia sido completada antes de permissão para usar o sample de “Every Breath You Take” do The Police. Sting (vocalista da The Police) finalmente participou de uma apresentação de “I’ll Be Missing You” no 1997 MTV Video Music Awards. Sting possui 100% dos royalties de publicação. Além de usar a melodia e arranjo de “Every Breath You Take”, o single também empresta a melodia do bem conhecido espiritual americano “I’ll Fly Away”.

Existem várias versões diferentes dessa música, sendo uma delas uma versão estendida (coral no começo), outra sem o coral e uma versão instrumental. Na versão estendida da música, o coro é ouvido cantando no início de “Adagio for Strings”, de Samuel Barber.


Resenha

Nunca achei Puffy talentoso, para ser sincero. Ademais, esse negócio de querer aparecer em todos os videoclipes e músicas — nem que seja uma porra de um grito — de seus membros da Bad Boy nunca fez minha cara. Desnecessário. Porém, nesta música ele se consagrou graças a Sauce Money, que co-escreveu e era um dos ghostwriters mais procurados na época, e escreveu o verso de Diddy.

O assassinato de Biggie, de fato, até hoje não foi resolvido. Paira no ar a pergunta “quem o matou e por quê?” até hoje — e talvez nunca será descoberto exatamente quem puxou o gatilho contra seu GMC Suburban naquela noite de 9 de Março de 1997 após um evento no Petersen Museum, com Biggie sendo atingido por quatro disparos.

GMC Suburban verde que Biggie estava quando foi baleado em 7 de Março de 1997.

A música, um tributo feito para ele em menos de três meses após seu falecimento, é uma obra-prima. Puffy, Faith Evans e o grupo de R&B 112 tornaram isto muito profundo. A letra, do início ao fim, reflete na memória, nos faz ter pensamentos variados, como uma reflexão sobre quem amamos e perdemos e/ou sentimos saudade. Explicitamente ela deixa o ouvinte a refletir. Acredito que até quem tem um coração difícil consegue sentir a profundidade que todo o registro oferece.

Na versão mais estendida, Puffy faz da sua introdução um desabafo infeliz com a morte de seu homie.

Todo dia eu acordo, espero que estar sonhando
Eu não posso acreditar nessa merda
Não posso acreditar que você não está aqui
Às vezes é difícil para um negro acordar
É difícil continuar avançando
É como se eu me sentisse vazio por dentro sem você estando aqui
Eu faria qualquer coisa, cara, para trazer você de volta
Eu daria toda essa merda, toda essa merda
Eu vi seu filho hoje, ele parece com você
Você foi o maior, você sempre será o maior
Eu sinto sua falta B.I.G
Mal posso esperar até esse dia, quando eu ver seu rosto novamente
Eu não posso esperar até esse dia, quando eu ver seu rosto novamente
Sim, isso aqui mesmo (me diga por que)
Vai para todos que perderam alguém
Que eles realmente amavam (vamos lá, se liga)


Ao iniciar o verso, dá para sentir a realeza na voz de Diddy, querendo capturar algumas das coisas que eles fizeram e conversas que ele e Biggie tinham. (A amizade deles era além da música. Era de uma proximidade formidável.) Queiramos ou não, a vida nem sempre é o que parece ser. “As palavras não podem expressar o que você significa para mim”, diz Puffy. “Mesmo que você tenha ido embora, ainda somos uma equipe.” Diddy também sugere que a vida não é o que parece ser, uma vez que você perde as pessoas mais próximas a você. Embora B.I.G. tenha partido, a Bad Boy Records iria continuar a construir seu império. Eles construíram a Bad Boy como uma família e através disso ele realizará seus sonhos. Ele não pode esperar até que ele morra para ver B.I.G. novamente esperando que ele o ajude a abrir os portões para ele. [Nota: Diddy também ajudou a mãe de B.I.G. a iniciar uma organização ensinando as crianças sobre a música de Biggie, ajudando a família da Biggie de alguma forma.]

Quando é real, sentimentos são difíceis de esconder. Por isso, Diddy não consegue imaginar toda a dor que sente. Ele daria qualquer coisa para ouvir metade do fôlego de Biggie. “Eu sei que você ainda vive sua vida após a morte.” Sauce Money, que fortaleceu grandão na composição, disse oficialmente no Genius: “Através de ‘Missing You’ eu estava meio que conversando com minha mãe”, lembra SM. “Talvez cerca de três anos antes disso, perdi minha mãe. Qualquer um que já tenha perdido a mãe sabe que você sente isso todos os dias. Então foi fácil para eu escrever e entrar nesse personagem.”

Com um refrão de arrepiar, Faith Evans, viúva de Big, põe toda sua grandiosidade nisso, fazendo com que o ouvinte feche os olhos e sinta as lágrimas escorrerem pelo rosto. Sua melodia interpola o refrão da “Every Breath You Take” da banda The Police.
Sua magnificência exposta no refrão enfatiza a partida dele daqui para uma outra, que, de certa forma, o contato aqui foi desfeito. Só restam lembranças.

No segundo verso, Puffy volta a refrescar sua memória: “É meio difícil sem você por perto
Conhecê-lo no céu, sorrindo, nos observando enquanto oramos por você. Todos os dias rezamos por você. Até o dia em que nos encontrarmos novamente, no meu coração é onde eu vou te manter, amigo. Memórias me dão a força que preciso para prosseguir”, ele desabafa. Ele não consegue acreditar na perda de seu grande MC. “Meus pensamentos, Big, eu simplesmente não consigo definir (...) Nós comprando roupas novas e tênis.” Eles dois fazendo sucesso, o público recebendo Biggie se apresentando nos palcos em dias de show. Ele ainda não pode acreditar. Mesmo que haja vida após a morte, toda sinceridade é aqui transmitida.

Num interlúdio, Faith deixa mais clara sua mensagem de saudade e manifesta sua indignação com linhas sendo cantadas ao som do evangelho tradicional “I’ll Fly Away”. Ela quer saber por que ele se foi, tendo esperança de ainda ver seu rosto. Afinal, tudo aconteceu muito rápido entre eles: casaram-se algumas semanas depois de se conhecerem em um ensaio fotográfico que Faith estava realizando para a Bad Boy.

Puffy, ao finalizar, está dizendo que a cada dia que passa ele está um dia mais perto de se reencontrar com B.I.G; ele está dizendo que todo mundo sente falta dele e tudo o que eles pensam dele.





Manancial: RiDuLe Killah; Wikipedia; Genius

Sem comentários