DESTAQUE

COMERCIANTES DO CAOS – PARTE UM

Throwback: Vice-presidente dos Estados Unidos, Dan Quayle disse que álbum do 2Pac está ligado ao caso de assassinato (Setembro de 1992)


Palavras por Chuck Philips


COLLEGE STATION, Texas — O vice-presidente Dan Quayle, ampliou seu ataque a Hollywood e criticou a indústria fonográfica pela produção da música rep que, segundo ele, levou à violência.

Quayle pediu à subsidiária da Time Warner Inc., Interscope Records, para retirar o álbum 2Pacalypse Now do artista de rep Tupac Amaru Shakur das lojas. Quayle alegou que o disco foi responsável pela morte de um policial estadual do Texas, que foi morto a tiros em Abril por um suspeito que supostamente estava ouvindo o álbum no toca-fitas de um caminhão roubado quando foi parado pelo policial.

Ronald Ray Howard, de 19 anos, está sendo acusado de homicídio em Edna, no Texas, na morte de Bill Davidson, 43, que foi baleado depois de parar Howard para emitir uma multa de trânsito.

A família do soldado entrou com uma ação civil contra Shakur e Interscope, alegando que as letras carregadas de violência do registro incitam “ação sem lei iminente”.

Uma das canções do álbum, “Soulja’s Story”, fala de “detonar” um policial e “derrubar o policial” após uma parada no trânsito.

Quayle comparou a faixa a notória “Cop Killer”, do repper Ice-T, que a Time Warner Inc. tirou do mercado neste verão.

“Mais uma vez estamos diante de um ato corporativo irresponsável”, disse Quayle em Houston, depois de falar com a filha do soldado, Kimberly Davidson. “Não há absolutamente nenhuma razão para um registro como este ser publicado por uma corporação responsável.”

Ele acrescentou: “Hoje estou sugerindo que a subsidiária da Time Warner, a Interscope Records, retire esse registro. Ele não tem lugar em nossa sociedade.”

Funcionários da Time Warner e Frederick W. “Ted” Field, chefe da Interscope Records, se recusaram a comentar.





Manancial: Los Angeles Times

Sem comentários