DESTAQUE

COMERCIANTES DO CAOS – PARTE UM

Laylaw discute sua história com Dr. Dre, 2Pac, e sua produção-fantasma para “California Love (Remix)”


Você sabe que esteve no jogo rep há muito tempo quando suas primeiras memórias de Dr. Dre não são de um produtor mundialmente conhecido, mas de um b-boy local.


Recordando Dr. Dre adolescente

“Eu conheci Dre em 80, 81”, lembrou Laylaw. “Eu estava na rua de sua prima, na 76th Street, do outro lado da rua de Fremont [High School]. Eu joguei futebol para Fremont… e [Dre] dançava no intervalo com alguns outros irmãos.”

“Nós tínhamos conhecimento um do outro”, ele continua, “porque ambos nos interessávamos por esse lance de DJ e pela música quando muitas pessoas não estavam fazendo isso naquela época. Então nós estávamos cientes uns dos outros. E… ele era apenas um pequeno maninho do bairro, apenas um pequeno amigo comum do bairro.”

Avançando rapidamente alguns anos até meados da década de 80, os alunos de Fremont droparam o primeiro som: o Dracula inspirou “Monster Rapping”.




“Cara, nós botamos para foder”, respondeu Law quando perguntado se a gravação aparentemente cômica deveria ser sério. “Eu fiz isso como respeito ao meu homeboy. Meu homeboy bateu nisso primeiro, meu homeboy chamado Paraquise. O Paraquise ganhou vida na caneta. E Dre disse, ‘Cara, vá em frente e coloque a voz dele.’ Nós chegamos a um consenso e eu acabei fazendo isso. E nós tínhamos tanta força na estação de rádio que consegui jogar durante o Halloween [1985]. Eu nem tentava fazer nada com isso. Isso não é indicativo de nenhum estilo ou nada assim.”

A curta vida de Laylaw como artista continuou no ano seguinte com “What’s Your Name” e um Electro-driven dance produzido por “The Mechanic”, que foi um apelido que Dr. Dre adotou no momento para evitar qualquer conflito com o contrato dele com a Epic Records, como parte da World Class Wreckin’ Cru, enquanto trabalhava com a Law.




"Eu era um compositor", explicou Laylaw. “Eu estava apenas escrevendo. Eu estava escrevendo… e então, encontrei Alonzo [Williams] e Wreckin’ Cru e eles estavam rimando. ... Eu não sou um repper. Eu sou um compositor. Posso escrever um rep, mas não me considero um repper. Então, era estranho tentar descobrir o que eu ia fazer.”

O que Law já havia descoberto sozinho para ganhar a vida não tinha nada a ver com fazer música.

“Eu era um correria, cara”, ele observou. “Todo mundo sabia que Laylaw ganhava dinheiro. Eu era o único nigga que eles conheciam tinha um Rolex. É por isso que meu selo foi Rolex [Records]. ... Eu tinha dinheiro, então [Eazy-E] costumava se aproximar para ganhar dinheiro. Então eu conheci Eazy.”


Ajudando a construir clássicos para a Ruthless Records de Eazy-E


O correria/compositor posteriormente começou a se envolver com Eazy e o resto da série Ruthless Records.

Depois de gravar o drama de Michel’le em 1989, “No More Lies”, Laylaw começou a preparar o segundo grupo gangstafied na Ruthless depois do N.W.A: Above The Law.

“Com [Big Hutch], nós estávamos fazendo alguma música e [N.W.A] podia ouvi-la e a próxima coisa foi que nossa música acabou parando nos álbuns do N.W.A”, revelou Law. “100 Miles And Runnin’” seria uma batida para o Above The Law.

Depois de alguns anos, supostamente ter seu crédito despojado por músicas que ele escreveu para Michel'le, Eazy-E e outros, Laylaw deixou o primeiro selo poderoso do rep da costa oeste antes do segundo semestre do álbum do Above The Law, Black Mafia Life.

“Não tinha nada de bom lá”, ele observou o ambiente na Ruthless Records no início dos anos 90. “O público gostava da música e de tudo, mas por outro lado, estávamos passando pelo inferno.”

E o inferno foi criado na Ruthless, mais o trabalho de Eazy-E ou o co-fundador do selo constantemente criticado Jerry Heller?

“Foram ambos”, respondeu Laylaw. "Eu não beijo nenhuma bunda, cara. Quero dizer, Eazy era legal para caralho. Eu adorava Eazy. Eu sinto falta de Eazy. Mas então, quando Eazy foi influenciado por Jerry [Heller]... De repente eu teria que conversar com Jerry sobre coisas com as quais eu nunca conversei com Jerry? Foda-se Jerry, cara. Não estava falando com Jerry sobre nada. Você não poderia me fazer respeitar Jerry. Esse era o problema. [Eu disse tipo], ‘Como você vai simplesmente jogar este filho da puta nisso, Eazy? Você costumava comprar droga de mim. Eu costumava lhe dar droga em consignação. Agora você me fez falar com esse idiota sobre essa besteira?’”

Pós-Ruthless, Law continuou recebendo esse dinheiro legal da droga produzindo o título para Tupac em seu segundo álbum, Strictly 4 My N.I.G.G.A.Z juntamente com o lado B subsequente para “Keep Ya Head Up”, o single “I Wonda If Heaven Got A Gueto.”

“Eu meio que estava com ’Pac enquanto eu ainda estava na Ruthless”, lembrou Law. “Eu e ’Pac já éramos amigos. Atron Gregory era o gerente do [Above The Law]. Atron Gregory encontrou Digital Underground… E ’Pac costumava estar com eles. Ele costumava dormir no meu sofá e tal, vivia lá em casa, e acabamos fazendo música juntos.”

Infelizmente para Laylaw, a regra #4080 da indústria, mais uma vez ergueu sua cabeça em relação ao seu trabalho para algo esperançoso.

“‘I Wonda If Heaven Got A Ghetto’, e há uma música chamada “Troublesome”, foi eu que fiz… algumas outras músicas que eu não consigo lembrar dos títulos”, revelou Law sobre sua contribuição completa para o segundo álbum de 2Pac. “Há cerca de cinco músicas [no total que eu fiz] para Tupac. O nome do álbum foi originalmente chamado de Troublesome, mas por qualquer motivo eles tiraram todas as minhas músicas, exceto uma. Tipo, tinha muita coisa minha ou alguma merda. Eu não sei por que diabos eles estavam fazendo isso. Então, eles tiraram quatro das minhas cinco músicas e eles simplesmente deixaram ‘Strictly 4 My N.I.G.G.A.Z’. Então ’Pac disse, ‘Bem, vamos nomear o álbum de Strictly 4 My N.I.G.G.A.Z.’ Por quê? Porque eles zoaram o álbum.”

Infelizmente, mais uma vez, Laylaw veria seu trabalho para 2Pac “zoado”, mas desta vez seria em parte nas mãos de seu velho amigo de Fremont.


A história real por trás de “California Love (Remix)” do Dr. Dre e 2Pac


“Eu continuei e joguei uma música para ele”, começou Law enquanto ele lembrou sua reunião com Dr. Dre em meados dos anos 90. “Ele ouviu uma batida que ele queria, e foi a batida ‘California Love (Remix)’. Ele estava oficialmente trabalhando no 2001 na época. E essa música deveria ter sido para seu álbum. ... Então Dre fez a música, alguns dias depois Roger [Troutman] sair [e] entrar nela. ... Alguns dias depois, ’Pac ouviu [e] ’Pac fez. Alguns dias depois se tornou o single de ’Pac. No dia seguinte, eles queriam filmar o vídeo. Então dentro de uma semana de nós fazendo isso, tornou-se o single de ’Pac

“Então eu falei, ‘Tudo bem, o que vai fazer com a minha versão? Porque temos duas versões da música”, continuou ele. “[Dre] disse, ‘Sua versão é o remix.’ Eu fiz isso com meu parceiro naquele momento, [D’Maq]. ... [Dr. Dre] me disse que ele enviou os créditos para Suge Knight e Suge não deu a mínima. Eu liguei para Suge. Suge disse, ‘Dre nunca me deu os créditos, Law.’ ... Lembre-se, Suge não estava realmente se preocupando em colocar meu nome nessa parada. Então eu entrei em contato com Tupac, e Tupac me disse que estava tentando sair [da Death Row Records], ele só queria terminar esses álbuns extras e ele queria sair. Então, acabamos de dar uma volta e simplesmente deixar [a situação] marinar.”




Manancial: HipHop DX

Sem comentários