DESTAQUE

COMERCIANTES DO CAOS – PARTE UM

Eminem e o mundo do Slim Shady



Abril de 1999
Jerry Lawrence Barrow
Foto por Annalisa




Imagine, se você quiser, um lugar onde o Natural Born Killers conhece a Play House de Pee-Wee em uma orgia lírica demente. Um lugar onde o Catman de South Park ensina no templo do hip hop e traz a cabeça decepada de um MC para mostrar e contar; onde a única coisa sagrada é um saco de cogumelos e um microfone. Bem-vindo ao mundo de Slim Shady. Depois de anos lutando no circuito underground, Eminem, o nativo de Detroit transformou um presente perturbador para descrever o macabro em um contrato de gravação com a Aftermath Records e seu ex-CEO, Dr. Dre. Não contente em ser apenas outra sensação caucasiana, Eminem te apunhala comicamente no osso com linhas como: “Meu cérebro está morto/ Eu estou tentando acertar minha vida/ Mas eu não consigo descobrir qual Spice Girl eu quero engravidar.” Ofendido? Boa. Porque Eminem quer que você saiba que ele Still Don’t Give A Fuck (ainda não dá a mínima).


The Source: Como surgiu o nome Slim Shady?

Eminem: Eu estava no banheiro, defecando. Eu juro por Deus. E a porra do nome acabou aparecendo na minha cabeça. Então comecei a pensar em vinte milhões de coisas que rimavam com isso. Todos no meu clique (grupo; galera) tinham um alias (apelido). Eles disseram: “Você não pode ser apenas Eminem. Você tem que ser Eminem e outra pessoa.” Slim Shady é apenas os maus pensamentos que vêm à minha cabeça. Coisas que eu não deveria estar pensando. Não para ser simplório, mas as pessoas devem ser capazes de determinar quando estou falando sério e quando estou passando por aí. É por isso que muitas das minhas músicas são engraçadas. Eu tenho um senso de humor distorcido, eu acho.

Você lançou um álbum independente, Infinite, e o Slim Shady EP antes de finalmente se juntar ao Dr. Dre. Como você conseguiu o seu negócio?

Em 1997, eu estava nas Olimpíadas de Rep em Los Angeles e fiquei em segundo lugar na competição de freestyle. Então eu estava fazendo um show no Lyricist Lounge tentando promover o EP e havia algumas crianças da Interscope Records lá e eu lhes entreguei uma cópia. Eles dormiram por um minuto. Mas eu voltei para L.A. para fazer um programa de rádio e Dre me contatou. Eu assinei em Janeiro do ano passado.

Como é trabalhar com Dre?

Ninguém se mete com Dre, tanto quanto os produtores de rep. Assim que entramos no estúdio, nós dropamos quatro músicas em seis horas. Cada batida que ele fazia, eu tinha uma rima. Duas delas estão no álbum. Por alguma razão, ele sabe que tipo de batidas eu gosto. Nós temos uma boa química juntos.

Ambos os seus vídeos fazem algumas imitações do meio-americano, tipo “Trailer Park” de pessoas brancas. Você cresceu nesse tipo de ambiente?

Não, eu vivi em trailers de parque antes, mas cresci no Leste de Detroit. Eu venho de uma família maluca. Além de dois motoqueiros ao lado, eu, minhas mães e meu irmão mais novo éramos as únicas pessoas brancas no quarteirão.

Quais são suas influências ou motivações para a maneira como você rima?

A maneira como é meu estilo é agora, eu praticamente tenho minha própria autenticidade. Quando eu estava crescendo, eu queria fazer rep sobre as pessoas que estavam com medo de fazer rep. Algumas pessoas vão dizer coisas apenas por valor de choque. [Mas] se eu estou pensando, vou dizer. Eu exponho muito do meu próprio negócio pessoal para o público. Há coisas que vou dizer na minha vida que outras pessoas vão achar embaraçosas para elas.

Onde é o lugar mais estranho que você escreveu uma rima?

Eu gosto de jogar minhas idéias apenas espalhadas no papel. Quando eu estava trabalhando como garçom, eu escrevia na minha mão ou nos cardápios. Eu escrevi rimas na cabeceira da minha cama na antiga casa. Eu fiz isso a lápis, mas uma vez, quando fui limpar, a tinta foi limpa. Minha mãe apagou.

Você trabalhou o seu caminho através dos MCs underground batalhando. Qual é o seu segredo para o sucesso?

Eu nunca entrei em uma batalha e não fiz freestyle. Foi assim que ganhei todas as minhas batalhas. Eu não vejo ninguém vencendo uma batalha com reps escritos. Essa merda é foda pra mim. Eu não quero ser conhecido como um MC de batalha no underground, mas você tem que começar no underground. Se você não construir uma fundação, sua bunda está acabada.



Manancial: The Source

Sem comentários