DESTAQUE

COMERCIANTES DO CAOS – PARTE UM

Metro Boomin presta homenagem à Zaytoven e Gucci Mane

Sonny Digital, Zaytoven e  Metro Boomin. (© DREW GURIAN/RED BULL CONTENT POOL)



Por Laurent Fintoni
2 de Maio de 2016



Por que Metro Boomin considera Zaytoven o G.O.A.T.


Conversa pública rara entre os produtores de hip-hop Metro Boomin, Sonny Digital e Zaytoven.



“Sinceramente, Zay é o padrinho, apenas.” É assim que Metro Boomin, o jovem produtor que atualmente domina o mundo do hip-hop, descreveu a importância do veterano Zaytoven durante a Beatmaker Roundtable: Trapped, que aconteceu em Manhattan.
“Ele deu à luz a todos nós”, disse Sonny Digital, sentado ao lado do Metro, antes de fazer um movimento da direita para a esquerda, do outro lado do sofá, onde os três produtores estavam sentados. Foi um momento revelador que resumiu o clima da conversa e seu foco no atual domínio de Atlanta sobre o panorama do rep.


Metro e Sonny são nomes familiares com créditos de produção para Future e Young Thug, mas antes de tudo isso, eles eram apenas jovens famintos olhando para Zaytoven e seu trabalho com Gucci Mane como inspiração. Lisonjeado pelos elogios, Zaytoven brincou dizendo que se sentia velho antes de simplesmente dizer que seus jovens acólitos o motivavam todos os dias.

“É 2016 e ele ainda é relevante”, continuou Metro antes de concluir. “G.O.A.T. de verdade.”

Metro Boomin (© DREW GURIAN/RED BULL CONTENT POOL)


Após uma primeira edição em 2015 com Just Blaze, 9th Wonder, Khrysis e Che Pope, a Beatmaker Roundtable deste ano olhou para o sul. Ao reunir duas gerações de produtores de Atlanta, ofereceu uma visão única sobre as raízes, influências e realidade da cena rep da cidade.


O clima no sofá foi alegre como as três histórias recontadas e provou o quão próxima é a comunidade musical. Mas também ficou claro que falar, especialmente sobre eles mesmos, nem sempre é o modo de expressão preferido deles. Pelo contrário, é através da música que eles se sentem mais confortáveis falando. A cada pausa musical na conversa, o trio ganhava vida para cantar e dançar junto com alguns de seus maiores sucessos e hits, incluindo Icy, RacksKarate Chop e Where I Came From.

Solicitado a descrever o que a música trap significava para eles, Zaytoven chamou isso de “música de malandro” antes de admitir que nem ele, nem Gucci Mane, realmente sabiam o que estavam fazendo quando se uniram no início dos anos 2000. “O trap estava sujo e nervoso”, continuou ele, “mas agora também é EDM. É o seu próprio gênero agora. Isso é loucura, isso é grande. Nós estávamos fazendo isso para os caras da nossa vizinhança.” E agora todo mundo ao redor do mundo dança com isso. Metro, que se mudou para St. Louis, em Atlanta, disse que se inspirou nos artistas locais, como Nelly, Chingy e J-Kwon, “Foi assim que eu sabia que queria estar na música.”


Sonny, criado em Atlanta ao som de Zaytoven, Shawty Redd e DJ Toomp, chamou o trap de “uma sinfonia do bairro, a trilha sonora da vida” em Atlanta e “música motivacional, faz você querer fazer alguma coisa”.

Zaytoven (© DREW GURIAN/RED BULL CONTENT POOL)


Apesar da fama, todos os três produtores deixaram claro que a música em si é sua motivação, enquanto seus sucessos os mantêm afiados. “Todos nós utilizamos um ao outro”, admitiu Metro antes de Sonny acrescentar que eles sustentam uma alta taxa de produção trabalhando juntos. “Temos que fazer batidas todos os dias para nos mantermos relevantes”, disse Zaytoven. “Eu faço batidas apenas por fazer, é assim que eu continuo.”

Não é incomum que os produtores mais jovens procurem ajuda em Zaytoven para completar uma faixa ou para trazer algo novo. Isto é em grande parte devido à diferença geracional. Enquanto Metro e Sonny são fluentes na linguagem de Fruity Loops, Zay permanece ancorado nas raízes de sua igreja e toca todas as suas chaves e tambores à mão em equipamentos de hardware até hoje. Para Metro, isso é o que torna o som de Zay único e mais tarde ele brincou dizendo que uma das razões pelas quais a maioria de suas músicas permanece sem samples é porque elas tratam seus amigos como samples.

Enquanto certos sons regionais são definidos por um senso de competição e rivalidade, Atlanta parece muito mais unida ao estranho. Esse sentimento de parentesco era evidente entre os três produtores, que demonstravam respeito e humildade constantes durante a noite. Quando perguntados sobre como suas colaborações prolíficas se desenrolam quando se trata de decidir quem é pago pelo que, Metro foi inequívoco. “Tudo no meio”, ele respondeu instantaneamente, 
mesmo que ele pusesse apenas um kick [na batida].” “É a única maneira de fazer isso”, Sonny entrou na conversa.

Sonny Digital (© DREW GURIAN/RED BULL CONTENT POOL)


Logo no início, a conversa se transformou inevitavelmente em Future, um dos reppers mais associados aos três artistas. Metro descreveu a taxa de trabalho de Future como tão tremenda que era “natural” para a música que ele e outros criaram para aumentar de intensidade. E essa ética de trabalho também significa que às vezes as músicas que você ouve têm anos, aguardando a hora certa para serem reveladas. Um exemplo é “March Madness” da mixtape 56 Nights do Future. Foi criada durante a criação de
 Monster em 2014, mas não foi incluído até mais tarde, porque “é tudo uma questão de tempo. Tudo acontece por um motivo, fez mais sentido depois. Foi um momento melhor e é realmente sobre momentos.”

Falando sobre a importância das mixtapes tanto para os reppers quanto para os produtores, bem como a música, os três concordaram que eles são a melhor maneira de atrair mais — e melhor remuneração — trabalho. É um “construtor de relacionamentos”, disse Sonny, e “boa publicidade”, segundo Zaytoven. Mas, no final, todos eles trabalham duro e esperam que o próximo grande sucesso venha.

Quando a conversa terminou depois de uma hora, cada produtor refletiu sobre seu status atual. “A imitação é a maior forma de bajulação”, respondeu Metro quando perguntado como se sentia agora ser o cara que os jovens olham, como ele já foi. Sonny, por sua vez, destacou como sua notoriedade como produtor agora lhe proporciona uma plataforma como repper, e é assim que ele se envolveu pela primeira vez na música. “Eu quero ser a luz para esta geração”, disse ele, “como Kanye foi para a última.” Mas foi Zaytoven quem ofereceu o resumo mais adequado da noite: “Eles me deixam louco quando eles fazem algo realmente bom.”


Metro Boomin (© DREW GURIAN/RED BULL CONTENT POOL)



Manancial: Red Bull Music Academy Daily

Sem comentários