DESTAQUE

COMERCIANTES DO CAOS – PARTE UM

O ‘2001’ do Dr. Dre é mais do que um álbum


[Graças a Suge Knight], o nome do álbum que seria “Chronic 2000” precisou ser alterado para “Chronic 2001”, que também é conhecido como “2001”. Ele deve ter pensado tipo, “Hum... Dre vai sair do selo, né? OK. Vamos ver quem ‘fode’ quem” de birra, porque Dr. Dre estava de saída para montar sua Aftermath Entertainment, e pela Death Row Records dropou um disco chamado Suge Knight Represents: Chronic 2000. E Dre pensou: “OK, vamos lá. Ninguém pode comigo.” E então saiu do forno Chronic 2001 em 1999, tendo o ‘2001’ porque ele já sabia que neste ano o mundo do hip hop conheceria um dos álbuns que mais foi capaz de mudar a cara do rep game.

De antemão: Dre nunca foi writer, mas teve, sim, vários ghostwriters. Aí você pode pensar: “Caralho, e como ele cuspia essas linhas sinistras se não era ele quem compunhava?” Bela pergunta. Ele já tinha compositores de mão cheia desde seu tempo no N.W.A, tal como no The Chronic (1992). Na época do N.W.A ele tinha Eazy-E, MC Ren e Ice Cube... letristas surreais que agitaram as ruas de L.A; no The Chronic ele teve mágicos como The D.O.C., Kurupt, EminemSnoop Doggy. E ele podia não compor suas próprias rhymes and lines, mas indiscutivelmente sua entrega diante do microfone, meu caro, era melhor que muito MC que está no jogo há mili, mili e até hoje não aprendeu como se faz.

Sobre o conteúdo do disco, Dre disse uma vez ao NY Times: “Tudo o que você ouve é planejado. É um filme, com diferentes variedades de situações. Então você tem construções, momentos comoventes, momentos agressivos. Você até tem uma ‘Pause 4 Porno’. Tem tudo que um filme precisa.”

Ele tinha razão. Só pela introdução (“Lolo”) você já nota a ambientação West Coast e a autenticidade no projeto. Ele teve a idéia de usar (intencionalmente) o som clássico da introdução THX na faixa que abre o disco. “Lolo” é gíria para lowrider. É falada em grande parte por Xzibit, com uma ambientação lowrider de fundo. Pode-se ouvir a hidráulica e Xzibit falando que esse é Dre, ele chegou. Assim como também temos “The Car Bomb”, pronto para explodir, junto com o talento da magnífica Ms. Roq e da sapiência do Hittman, que brotaram em várias e várias faixas.


“The Watcher”


Dizem ter sido composta por Nas, a faixa mostra como Dre se sente sobre qual estado o jogo do rep está, comparado ao seu álbum anterior, e também discute as coisas que permaneceram as mesmas. Quando o primeiro álbum solo saiu do forno, ele era um jovem gangsta e um jovem artista em geral. Sete anos depois, Dre já era um produtor lendário e um repper muito respeitado, então ele decidiu tentar ficar longe dos holofotes, o que é fácil de perceber se você olhar para a discografia dele. Mas, ele ficou perto do jogo e ele estava envolvido no lançamento de um punhado de lendárias carreiras de rep. (Dre tinha 34 anos quando isso foi registrado; tendo estado por aí desde o início dos anos 80, ele viu muitas coisas no hip-hop e está ciente das tendências em constante mudança.)
Na linha “Niggas get capped up and wrapped in plastic/ Zipped up in bags: when it happens, that's it” ele se refere à sacos de plástico, que são usados para o transporte de cadáveres. E quando eles fecham o saco não há como voltar atrás. (Como já foi dito acima, Nas escreveu este verso. Portanto, Jay Z usou essa linha clássica no refrão de “Takover”, uma faixa diss direcionada para Nas.)
Outras linhas que chamam atenção estão no segundo verso: “I moved out of the hood for good, you blame me?” Muita gente criticou Dre dizendo que ele não era gangsta, pois ele saiu do bairro. Mas ele saiu por bem, para o bem dele e da sua família. Inclusive, 2Pac o atacou em sua música “Toss It Up”, em seu álbum Makaveli the Don Killuminati: “Screaming ‘Compton’, but you can’t return, you ain’t heard?/ Brothers pissed cause you switched and escaped to the burbs!” Dizendo que não adianta ficar citando a cidade e que ele fugiu para o subúrbio.
Outra linha, um pouco mais abaixo chama atenção: “How would you feel if niggas wanted you killed?/ Youd probably move to a new house on a new hill/ And choose a new spot, if niggas wanted you shot/ I aint a thug, how much 2Pac in you you got?/ I aint no bitch, neither/ Its either my life or your life and I aint leaving, I like breathing.” As pessoas diziam que Dre estava abalado e saiu do bairro, mas quem se sentiria confortável vivendo com uma constante ameaça de morte? A maioria daqueles que o criticam não estiveram no lugar dele e provavelmente fariam o mesmo se estivessem em sua posição.


“Fuck You”


Essa faixa cabulosa, que é sobre sexo e também o envolvimento com mulheres casadas. Temos um Dre bem sacana, com Devin the Dude mais ainda, e Snoop nem se fala. Você surfa na porra da produção incrível de Dre e Mel-Man, sua mente vai viajando nessa sacanagem. Digamos que esse foi o trio ideal para falar sobre esse assunto. Essa faixa é icônica, e Hittman, quem compôs a parte de Dre, disse em uma entrevista: “É engraçado, e é assim que ele [Dre] funciona. Ele não escreve rimas, mas ele tem uma visão, ele vai sentar com você e te dizer. Ele pode cuspir uma linha, então você começa a escrever e ele vai vetar, dizer sim ou não até o verso ficar do seu agrado, e é assim que ‘Fuck You’ foi escrita. Ele era como, ‘Hitt, isso tem que ser único e sinistro.’ Eu segui um padrão, e uma vez que ele ouviu ‘I just want to fuck bad bitches’, em seguida vem ‘all them nights I never had bitches’, e ele ia dizendo, ‘Isso, continue!’ Eu escrevi isso em 15 minutos e o que é louco sobre isso, ele memorizou e cuspiu, ele nem pegou o papel com ele.”

Na introdução, uma garota na secretária eletrônica diz: “Oi, baby. Eu sei que você está sob muita pressão em seu trabalho e tudo e eu entendo. Você não tem idéia do quanto eu entendo. Mas você também não tem ideia do quanto eu te amo. Eu te amo muito. Eu penso em você, eu sinto você em meus braços; eu sinto sua falta... eu sinto sua falta terrivelmente. Eu sempre quis alguém como você na minha vida. Eu te amo tanto que eu faria qualquer coisa, eu faria qualquer coisa. Eu serei sua mulher perfeita para você.” E no refrão, digamos que é a continuação. Eles querem fazer sexo com essa mulher, mas querem um envolvimento mais do que físico (sem “kissing”, “hugging”, “touching” ou “rubbing”) por respeito ao marido.

No segundo verso, Devin tira onda com um duplo sentido fabuloso: “You know I come quick help you redecorate your walls”, ele está sugerindo que ele poderia usar uma razão falsa para aparecer e ver a mulher, decorando suas paredes reais, bem como descarregando sêmen em suas paredes vaginais ao mesmo tempo, e finalizando “Don’t worry bout me handcuffing girl, cause I just wanna...” (Handcuffing refere-se a tentar prender uma garota em um relacionamento… Ela não precisa se preocupar, tudo o que ele quer é sexo, como Snoop explica na próxima linha quando seu verso assume o controle.)

O terceiro verso tem uma linha do Snoop que pede enfatização: “Baby was a virgin, that’s what she said.” Ela fingiu que era virgem. Isso obviamente não é verdade, pois ela tem um marido (como mencionado no refrão). Isso implica que ou ela mente muito ou é muito pouco inteligente.


“Still D.R.E.”


Um dos singles do álbum, mostra um Dre completamente sendo ele mesmo, apesar de não ter sido o próprio por trás da composição. Jay-Z recebeu crédito editorial nesta faixa e, de acordo com Snoop Doggy, Jay escreveu “todas” as letras dessa música. O aspecto mais notável e memorável dessa música é a combinação de cordas de piano e pizicato simples, mas épica, interpretada por Scott Storch nos primeiros 10 segundos da música que pode ser ouvida por toda parte.

Dre, Mel-Man e Scott Storch adotaram uma abordagem simplesmente Costa Oeste para reinar nisso. É onde você se imagina por aí com um lowrider, agitando legal, deixando todo mundo boquiaberto com a sua presença. É, indiscutivelmente, uma das produções mais memoráveis de todo o hip-hop, e em sumo, é onde Dre se expressa dizendo que ele ainda está aqui, vivo, reinando como em seus dias de N.W.A.


“Whats the Difference”


Tendo nada mais que Eminem e Xzibit cuspindo linhas venenosas (como em “Don’t Approach Me”), essa produção impecável realizada por Dre e Mel-Man teve o notável sample tirado da “Parce Que Tu Crois” (1966), do cantor armênio-francês Charles Aznavour. Se tornou um hit muito bem condecorado pelas ruas. A união desses três reppers encaixou perfeitamente. Eminem soa muito bem. Xzibit com sua voz ímpar marca mais que cicatriz, e Dre lança linhas profundas: “I still remember the window of the car that you went through/ That’s fucked up, but I’ll never forget the shit we been through/ And I’ma do whatever it takes to convince you/ ’Cause you my nigga, Doc.” Aqui ele refere-se ao seu mano D.O.C., que sofreu um acidente em Novembro de 1989, onde foi jogado pela janela traseira e bateu em uma árvore. Seus ferimentos exigiram 21 horas de cirurgia plástica e ele passou duas semanas e meia no hospital. Ele não podia falar por cerca de um mês, e ele ficou com uma voz diferente e irritada. Em seguida, “and Eazy, I’m still with you/ Fuck the beef, nigga, I miss you/ And that’s just being real with you” é uma referência a rixa que ele teve com Eazy para sair da Ruthless Records, mas que depois reataram a amizade e ele não tinha mais ressentimento. Foi corroborado que ele e Eazy já não tinha mais rixa quando Eazy faleceu.


“Bar One”


Bar One era o lugar para estar em uma noite de Domingo em meados dos anos 90.

A ambientação de filme volta nesse skit icônico, realizado por Ms. Roq e Traci Nelson (Eddie Griffin).

Damn girl, it is hotter than a motherfucker up in here
You got that right
I need to go to the bar and get me a drink, please
Yes
Hello
(Yeah, what the fuck you want?)
Hmm
Let me get a Cosmo
(What the fuck you want?)
Damn, I'll have an apple martini
This motherfucker drunk as a mother
(Thirsty bitches)
This a drunken-ass nigga
Oh, ooh, shit girl, those niggas are looking over here!
Oh shit, don't look, don't look
Damn, what's up, what they look like though?
Shit, shit, damn, they look, they look aight
They fuckable? What's up, is they fuckable or what?
Shh, chill out, chill out
What?
Here they come
What?
Here they come! Chill out! Damn

Cara, esse registro é muito foda! Você vai ouvindo e lendo a letra e devaneando a cena, fantasiando todo o fato na sua mente, e concomitantemente as peças vão se encaixando. Agora vamos ao que mais interessa: o significado das linhas.

Damn girl, it is hotter than a motherfucker up in here/ You got that right/ I need to go to the bar and get me a drink, please/ Yes” Roq e Traci vão até o bar para se refrescar com algumas bebidas.
Em “Hello/ (Yeah, what the fuck you want?)/ Hmm... Let me get a Cosmo”, é uma conversa simples entre duas mulheres e um barman. E Cosmo significa coquetel cosmopolita.
(What the fuck you want?)/ Damn, I’ll have an apple martini” Tendo decidido o que beber, Traci pede um martini de maçã do barman bêbado (e rude), para quem procura experimentar a bebida de Traci Nelson
Quando Ms. Roq diz “This motherfucker drunk as a mother/ (Thirsty bitches)/ This a drunken-ass nigga”, ela continua impressionada com a equipe do bar, enquanto o barman continua a agir rudemente.
Oh, ooh, shit girl, those niggas are looking over here!” Quando ela diz “Those niggas” é Dr. Dre e sua equipe (provavelmente Snoop e Devin, e possivelmente Eminem). Eles todos parecem olhar demais, então as garotas ficam excitadas quando Dre começa a notá-las.
Oh shit, don't look, don't look/ Damn, what's up, what they look like though?/ Shit, shit, damn, they look, they look aight/ They fuckable? What's up, is they fuckable or what?” Enquanto Roq a questiona sobre como os caras do outro lado do bar olham, Traci lentamente percebe que elas estão sendo paqueradas por ninguém menos que Dr. Dre e sua equipe.

Percebendo que esta é uma noite que ela não pode vacilar, ela tenta manter a compostura e dizer a sua amiga para mantê-la também.
Shh, chill out, chill out/ What?/ Here they come/ What? Here they come! Chill out! Damn!” Dre encontrou quem ele quer foder, e isso significa que ele provavelmente vai molhar o pau dele. Quer dizer, ali está Dr. Dre, e os niggas pegando uma boceta.

E, na faixa seguinte...


“Light Speed”


O verso de Dre foi escrito por Hittman.

Em resposta a uma anotação original, Hittman escreveu:

“‘Still D.R.E.’ foi a última música feita para 2001 (gravada em Junho de 1999). ‘Light Speed’ foi escrita por mim e gravada em Fevereiro de 1999. Agora, com os fatos sendo declarados, pode-se supor que Jay Z pegou uma vibe fora das linhas de abertura do verso de Dre e expandiu-o para a liderança do single para o álbum.”

No contexto da narrativa (solta) do álbum, esta é uma continuação da sátira que precede essa faixa, que se desenrola a partir da perspectiva de duas mulheres no bar a quem Dre agora está envolvido.

No contexto de sua carreira e do álbum deste álbum no tempo, Dre está deixando você saber quem ele é, no caso improvável de que você tenha se esquecido dele nos 7 anos desde seu último álbum.


“Forgot About Dre”


O que dizer sobre esse registro? Ah, cara... Eminem pegou a faixa para ele.

Dre quer que você saiba que ele não caiu depois do lançamento de The Chronic.

Eminem não apenas apresenta a faixa, ele também escreveu quase todas as letras, incluindo a maioria dos versos de Dre. Isso é bastante óbvio, dado o flow rápido, repleto de assonância multissilábica — uma ação marcante do estilo usual de Dre.

Nowadays, everybody wanna talk
Like they got somethin’ to say
But nothin’ comes out when they move their lips
Just a bunch of gibberish
And motherfuckers act like they forgot about Dre

Eminem não perde tempo e ataca ferozmente quem gosta de falar mas sem ter o que dizer. É fácil mover os lábios e falar um monte de coisas sem nexo, principalmente quando os filhos da puta disseram que Dre já era e estava acabado. Mas não! Mesmo tendo visto de perto o falência nos anos iniciais da Aftermath, ele descobriu Eminem — e boom! —, e a partir daí, meu amigo, foi só progresso.


“The Next Episode”


O que pode ter sido feito propositalmente: essa faixa é a 11ª, ou seja, metade do disco. Pode ser que aqui começa o próximo episódio.

Você sabe quem está de volta! Irrefutavelmente, antecedendo o próximo episódio, esse é um dos maiores hinos do hip-hop. É simplesmente uma magia sinistra. É aquela que quando toca, você vê a fumaça da maconha subindo. Dre matou nisso. Snoop matou nisso. Kurupt matou nisso. E, por fim, Nate Dogg matou nisso.


“Lets Get High”


É hora de ficar chapado, principalmente numa linha que Ms. Roq cospe: “Yeah, little dicks always running they mouth/ While a bitch is better off to masturbate and be out.” Roq falou sobre muitos caras pomposos (sobre seu dinheiro, lares, paus enormes, o que seja), mas no final eles são todos iguais — pequenos filhos da puta inexperientes. Ela imagina que ela também pode “rub one out” (se masturbar) e gozar sozinha. Melhor do que se envolver com esse tipo de homem.


“The Car Bomb


Ó, essa antecede a “Murder Ink” na intenção de mexer com a mente do ouvinte. O lance é atiçar, fazer com que cada um se sinta no mesmo ambiente. Esse skit interpretado por Mel-Man e Charis Henry é como um prelúdio para a próxima faixa. É um diálogo curto que termina em um assassinato por meio de uma explosão de um carro-bomba, daí o título. Pega a visão a seguir.


“Murder Ink


O título da faixa é uma referência à frase mais tarde mais popular no Hip Hop, para “murder ink (write some dope shit)”. É um duplo sentido potencial, já que é também o conceito de que Roq, Hitt e Dre inventam uma incorporação um tanto fictícia chamada Murder Ink.

Ironicamente, Eminem (que Dre havia assinado cerca de um ano antes do lançamento da faixa) teve uma participação com o repper Ja Rule cerca de 4 anos depois, que assinou contrato com uma gravadora chamada Murder Inc.

No verso do brabo Hittman, podemos destacar algumas linhas para entender melhor o registro: “With a list of chosen men, frozen in sin.” Esta linha está afirmando que Hittman tem uma lista de homens que foram escolhidos como alvos por sua organização de assassinato de aluguel (também conhecida como Hitman ou Assassination).

Não sabemos por que essas pessoas específicas foram escolhidas como alvos, mas o que sabemos é que são todas pessoas que fizeram algo muito mal.

Isso é mostrado por Hittman dizendo “frozen in sin”, sugerindo que eles cometeram um ato pecaminoso e que eles estão “frozen” em um ciclo de “sin” que eles não podem escapar.

Em sumo, a faixa é uma cena de assassinato. Eles estão tramando. Ms. Roq é uma garota negra e bonita, que é melhor a vítima não pensar que só por isso ela não pode ser uma assassina.


“Ed-Ucation


Esta faixa é interpretada por Eddie Griffin, explicando de forma cômica o que acontece quando as mulheres estão desesperadas em manter um homem por perto. O título, Ed-Ucation, é um trocadilho com o nome dele.

Em “Well let me tell you the biggest pimp/ On planet motherfuckin Earth, is her momma”, o que Eddie diz significa, em outras palavras, que as mães que incentivam suas filhas a namorar apenas homens ricos estão prostituindo suas filhas.
It’s her MOMMA that told her/ ‘Get a man that got a good job gurl!/ Make sure he got a good car gurl!/ Make sure he can take you out and buy you somethin gurl!’” A pessoa que enche a cabeça com a ideia de que você precisa se apaixonar por alguém com dinheiro é a mãe dela. Sua mãe está incentivando o comportamento do garimpeiro.
What happened to just fallin in love with a nigga with a bus pass — just cause you love the nigga?” Aqui Eddie pergunta por que as garotas não podem se apaixonar por alguém que não é rico.
Biggest hoes, on planet Earth... are walkin through the motherfuckin neighborhood.” As grandes prostitutas estão por toda parte. Elas estão talvez embaixo de seu nariz, você simplesmente não consegue ver.
You KNEW when you got with the nigga he already had a woman/ You knew he already had a family/ But you fucked him anyway!!!” Eddie aponta que essa garota é uma puta enorme. Quem além de putas dorme com homens casados (além de suas esposas)?
And then when you thought you gon’ lose the nigga/ You went and got pregant — didn’t you bitch, DIDN'T YOU!!/ THE OL’ KEEP A NIGGA BABY.” Um movimento clássico que algumas mulheres fazem quando sentem que vão perder o homem: engravidar. Como se um bebê conseguisse fazer um homem ficar.
And then when the nigga ain’t around, what do you tell the child?/ ‘Aww that nigga ain’t shit, that’s why yo’ daddy ain’t here; cause that nigga ain’t shit.’” A garota está culpando completamente a ausência do pai de seu filho, quando na verdade ela também esteve em grande parte ausente. Ela era uma prostituta, como ela fodeu com um homem casado e com uma família. Ela era simplória e realmente achava que ele deixaria sua família por ela, o que qualquer pessoa razoável poderia dizer que não ia acontecer.
I had you to keep the nigga, it didn’t work out/ That’s why he ain’t here — but he a good nigga/ Cause he take care of his REAL family/ I was just a dumb bitch, tryin’ to keep, a nigga that I wanted.” A mãe costuma dizer coisas horríveis sobre o pai que às vezes não são verdadeiras. Isso deixa a criança pensando que tinha um pai morto. Se for uma menina, ela acha que todos os homens não prestam. Se fosse um menino, ele poderia acabar deixando uma mulher grávida sem pai. O ciclo continuará.


“Pause 4 Porno


TheGooch chama isso de a quarta cena de sexo mais desagradável e mais explícita na história do rep baseada em alguns fatores:

Após uma breve introdução do Dr. Dre, somos lançados no meio da cena em uma orgia. A estrela pornô Jake Steed está fazendo o seu trabalho com duas, possivelmente três, mulheres, e tudo parece estar indo muito bem. Depois de declarar em voz alta sua intenção de fazer então, Steed ejacula em um dos rostos de suas amantes, recebendo sêmen em seus olhos. Isso não a perturba, no entanto, e ela exige que Steed levante de novo e termine com ela para que ela possa ir para casa ficar com seu homem. Estrela pornô ou não, Jake Steed é apenas humano (se você transar com ela, ele não goza?), e precisa de pelo menos 5 minutos para se recuperar. Quando a mulher enfatiza a questão, Steed a chama de bitch.

Humidade: 2/20


Felizmente para nós, Dre manteve o microfone bem longe da boceta.

Depravação: 12/20


Para cada um, o próprio Rap Genius não tolera a infidelidade. Além disso, chamar nomes é dizer (a menos que você concorde com os parâmetros do xingamento antes do tempo, é claro).

Sons do sexo masculino: 10/10


Steed geme como uma mãe guaxinim protegendo seus filhotes de predadores e tem uma propensão bizarra de narrar os eventos enquanto eles se desdobram.

Quociente de constrangimento: 8/10


Eu nunca falaria com uma mulher como a Sr. Steed faz aqui e não gostaria que meus vizinhos pensassem assim também.

Atratividade Física dos Participantes: 1/5


Ela é uma estrela pornô. As meninas soam quentes. Eu já assisti uma cena dessa!

Trilha do tearsishness: 9


90 segundos de gemida, sátira e grito.

Bônus do orgasmo: 5


TOTAL: 47

Oh, damn, damn, damn, oh, shit, oh
(Fuckin in my eyes, bastard!)
Shit! Ohhh... Ohhh... DAMN!
(Oh, shit I can't see!) Ohhh
(Oh, shit!) Oh, shit!

Jake tem esperma nos olhos da menina e ela está chamando-a de nomes ruins e Jake está gemendo alucinadamente.

Man, fuck your man, know what I’m sayin’?/ I’m Jake Steed. Bitch!” Qualquer mulher teria sorte de ter relações sexuais com uma estrela pornô e esta mulher está apenas falando sobre como voltar ao seu namorado comum.

É isso.


DOWNLOAD EM MP3






Manancial: RiDuLe Killah; Genius

Sem comentários