DESTAQUE

COMERCIANTES DO CAOS – PARTE UM

COMERCIANTES DO CAOS – PARTE SETE


Leia sobre os assassinatos de Tupac Shakur e Christopher Wallace dos arquivos de Russell Poole. Ele temia que os livros de assassinato fossem estripados quando ele deixou a polícia de Los Angeles, então ele levou seus arquivos com ele. Agora você pode ver o que estava nesses arquivos. Os assassinatos poderiam ter sido resolvidos há muito tempo, mas isso levaria a um lugar muito ruim para tantos envolvidos. Aprenda a verdade que custaria a vida de Russell.



O conteúdo aqui traduzido foi tirado do livro Chaos Merchants, de Michael Douglas Carlin & Russell Poole, sem a intenção de obter fins lucrativos. — 
RiDuLe Killah







CARTA AO CHEFE DE POLÍCIA CHARLIE BECK






Palavras por Michael Douglas Carlin






Chefe de Polícia Charlie Beck

100 West 1st Street Room
Los Angeles, CA 90012
charlie.beck@lapd.lacity.org



8 de Julho de 2015

Caro chefe Beck,

Re: Vazamento da Carta de Confissão do L.A.P.D. no assassinato do repper Tupac Shakur
IA: CF NO 14-001995




Desejo que as circunstâncias por trás da escrita desta carta fossem diferentes. Eu estava na platéia na reunião Rotary centro onde foi preenchida para Connie Rice, enquanto ela estava atrasada e eu me tornei um grande fã da transformação dentro do L.A.P.D. que você e Connie levaram. Eu sempre disse que a reunião foi a melhor reunião Rotary que já participei — lembre-se de que eu era Rotariano por uma década.


Estou escrevendo para você hoje sobre o vazamento da Carta de Confissão do assassinato do repper Tupac Shakur e tentativa de assassinato de Suge Knight, dada a do vice-chefe do L.A.P.D. Kirk Albanese, comandante Kevin McCarthy, capitão William Hayes e detetive Daryn Dupree em 24 de Junho de 2014. O primeiro vazamento ocorreu em 7 de Julho de 2014 pelo ex-parceiro de Daryn Dupree, Greg Kading. A carta completa apareceu em 18 de Agosto de 2014 e, seis dias depois, Suge Knight foi baleado em uma boate de Hollywood por atiradores que disseram quando atiraram, “você matou Tupac”.

Nós temos o L.A.P.D. frio no vazamento. RJ Bond colocou uma borda especial na carta e quando a carta vazada apareceu, estava com aquela borda especial. Há um ano, Russell Poole e RJ Bond apresentaram IA: CF NO 14-001995  uma queixa interna sobre a carta.

Eu escrevi para você em 9 de Janeiro e 28 de Junho e não tive uma resposta. Solicito que você responda oficialmente a este e-mail e carta certificada para me informar sobre a disposição dessa investigação.

Muitos na comunidade me alertaram que minha vida está agora em perigo. Recentemente Reggie Wright Jr. ameaçou RJ Bond em uma entrevista no YouTube. Ele disse: “Isso não é sobre mim com o senhor Bond... Se eu puder eliminar Biggie ou Tupac ele não deve ser um problema.” RJ Bond, Russell Poole e eu não fomos a fonte da informação que culpa Reggie Wright pelo assassinato de Tupac Shakur — L.A.P.D. foi a fonte clara desta informação quando vazaram a Carta de Confissão e, assim, descarrilou a investigação.


Reggie Wright Jr. é listado pela Cidade de Los Angeles e pelo L.A.P.D. como suspeito do assassinato de Christopher Wallace em documentos judiciais obtidos no Julgamento Civil de Wallace e ele é o suspeito que a Carta de Confissão diz ter tramado o ataque em Suge Knight e Tupac Shakur. Ele também é amigo de Greg Kading, que novamente é o ex-parceiro de Daryn Dupree. Reggie Wright Jr. é ex-policial de Compton e filho do ex-policial de Compton e xerife do condado de L.A., Reggie Wright Sr. Muitas pessoas temem Reggie Wright Jr. por causa de seus fortes laços com a polícia (ele contratou todos os policiais de folga para Death Row Records).

Fica ainda mais complicado como Cle “Bone” Sloan — a testemunha estrela no julgamento de assassinato atual de Suge Knight que trabalhou com Daryn Dupree no filme Marcados Para Morrer. Por que alguém estava tão ligado a suspeitos, encarregado dos casos de Tupac e Biggie? Isso foi apenas um descuido? Ou foi intencional?

Kevin Hackie diz que entregou a Glock .40 que havia passado pelo teste de balística pelo FBI para Reggie Wright Jr. e ele ainda diz que a arma foi posteriormente usada para matar o repper Tupac Shakur. O guarda-costas Michael Moore foi retirado da proteção de Tupac Shakur na noite do tiroteio porque ele recusou o pedido de Reggie para se desarmar. Reggie manteve Moore perto dele no momento do tiroteio e Moore fala da audição “Peguei eles” que ele ouviu através do rádio de Wright quando Tupac Shakur e Suge Knight foram baleados. A carta apóia esta evidência e diz que o atirador, Lil ½ Dead (Donald Smith) teve o motivo de vingança como uma razão para matar Tupac Shakur. Na capa de Lil ½ Dead em 2012 para Dead Serious você pode ver uma imagem de Tupac Shakur morto.

Vamos dar ao L.A.P.D. o benefício da dúvida. Se a Carta de Confissão fosse inadvertidamente entregue a um detetive que não fosse amigo do suspeito do assassinato, esse caso teria recebido uma investigação adequada. Todos os supostamente envolvidos teriam sido interrogados e Chris Blatchford, que nos deu a carta, teria sido contatado e entrevistado sobre as origens daquela carta. Tempo e oportunidades valiosos foram perdidos devido ao vazamento do L.A.P.D. Mas ainda há esperança de que o Departamento de Polícia de Los Angeles, no final, faça a coisa certa, mesmo que isso leve a mais emaranhados.

Enquanto despejava as milhares de páginas de arquivos de casos, ao escrever o livro Tupac: 187 descobrimos que o oficial Kevin Gaines (namorado de Sharitha Knight, que segundo o autor da carta também estava por trás dos assassinatos) estava em missão especial com o L.A.P.D. em Las Vegas na noite em que Tupac e Suge foram baleados. Frank Lyga declarou publicamente que o assassinato de Kevin Gaines foi um “golpe” sancionado pelo L.A.P.D. Claramente, havia vários policiais da polícia de Los Angeles em Las Vegas naquela noite e descobrir o envolvimento do L.A.P.D. na tentativa de assassinato de Suge Knight e assassinato de Tupac Shakur poderia ser embaraçoso para o departamento, mas vazar a carta para evitar esse constrangimento e encobrir esse vazamento será muito mais prejudicial.

Nós simplesmente queremos a VERDADE onde quer que isso nos leve!

Você não era o chefe de polícia durante a Era do Escândalo de Rampart. Tudo o que foi feito, então, não pode ser atribuído a você. Você liderou uma grande transformação no L.A.P.D. e eu aplaudo esses esforços. Agora é hora de total transparência no vazamento desta Carta de Confissão e é hora de reexaminar todos os oficiais corruptos durante a era de Rampart para arejar suas roupas sujas e, se possível, trazê-los à justiça. Se eles participaram dos assassinatos de Tupac Shakur e Christopher Wallace, eles deveriam ser responsabilizados. Se eles participaram da tentativa de assassinato de Suge Knight, eles deveriam ser responsabilizados. Se houvesse “ataques” sancionados pelos policiais do L.A.P.D., todos os envolvidos deveriam ser responsabilizados.

Los Angeles é a comunidade mais diversificada que já existiu. Honre essa diversidade resolvendo esses crimes e levando os perpetradores à justiça. Os fãs de Tupac e Biggie constantemente dizem que se os artistas fossem brancos, nenhuma pedra teria sido descartada para levar os assassinos à justiça. É difícil argumentar com esses fãs quando parece que o L.A.P.D. está obstruindo a investigação.

Você está ciente de que o primeiro julgamento Civil no processo por homicídio culposo de Christopher Wallace foi julgado como anulado quando se descobriu que o Departamento de Polícia de Los Angeles havia retido milhares de páginas de documentos que implicaram oficiais do L.A.P.D. de folga no assassinato. Você está ciente do testemunho de Ya May Cristle que implica no L.A.P.D. em destruir milhares de documentos que apontam para o envolvimento do L.A.P.D. no assassinato de Christopher Wallace. Você também está ciente de que o testemunho de Waymond Anderson, que atrapalhou o segundo julgamento Civil, foi coagido à medida que os documentos se infiltravam para que ele revisasse o caso e seu testemunho fosse instruído. Devemos acreditar que o L.A.P.D. não teve envolvimento com o assassinato do repper Tupac Shakur?

Por favor, examinem as pistas que descobrimos desde a publicação do livro e as pistas que continuam a aparecer. Por favor, ajudem a proteger aqueles cujas vidas estão agora em perigo por causa do vazamento da Carta de Confissão no assassinato do repper Tupac Shakur. Muitas pessoas que foram testemunhas ou buscaram a verdade estão mortas, mas a verdade está se esvaindo e não pode ser detida.

Tanto Russell Poole e eu somos seus parceiros para levar os assassinos à justiça. Russell tinha 19 anos no departamento e tem um bom controle sobre quais medidas são necessárias para obter acusações e condenações. Nós publicamos um instantâneo das informações relevantes.

Disseram-me que a informação do assassinato de Mickey Thompson não era tão convincente quanto essa informação e isso levou a uma condenação que resistiu a um apelo. Esses casos podem ser resolvidos e os criminosos podem ser levados à justiça.

Estou ansioso para ver isso até uma conclusão positiva.

Muito bem sucedido,




Michael Douglas Carlin
Autor





DECLARAÇÃO DE CHRIS BLATCHFORD




“Maio de 1998, um Five-Deuce Hoover Crip que eu conheço veio a mim dizendo que ele sabia quem matou Tupac Shakur. Ele me disse que Sharitha Knight e Reggie Wright estavam por trás do assassinato.

“O Informante Confidencial diz que no começo havia um encontro em Balboa Park, em San Fernando Valley, para diferentes gangues. Isto foi disfarçado como uma reunião de trégua de Blood/Crips. Mas foi realmente uma sensação para Wright ver o quanto seria necessário para acertar Tupac. Wright queria direitos para todo o material de Tupac.

“Ele diz que foi Wright quem  na noite do assassinato de Tupac  disse aos assassinos onde estaria Tupac, junto com Suge. Aqueles que não estavam no plano naquela noite foram enviados para o 662 Club em Las Vegas.

“Havia 3 assassinos contratados para fazer o trabalho: Gregory Harris Smith a.k.a “Lil Half Dead, Malcolm Shabbaz Patton e Danny Eugene Patton, a.k.a “Whiteboy”.

“O Informante Confidencial morava ao lado de Danny Patton em Reseda e fez algumas obras com ele. O Informante Confidencial diz que Danny Patton disse a ele: Eu atirei naquele filho da puta Tupac. Eu estava lá, cara! Ele gravou uma fita da conversa, mas não consegui entender uma palavra disso por causa da má qualidade da fita.

“No início de Junho de 1998, o Informante Confidencial me disse que Malcolm Patton estava “cansado de esconder isso” e acreditava que ele estava prestes a ser atingido. Então, ele queria se entregar e contar toda a história. Falei com Malcolm no telefone e marcamos uma reunião. Ele disse que traria uma das armas do crime e queria fazer uma entrevista na câmera para se proteger.

“5 de Junho de 1998 eu apareci para a reunião e recebi uma carta escrita à mão (esta foi escrita pela irmã do Informante Confidencial que transcreveu o que Malcolm disse a ela). A carta dizia que Lil Half Dead estava chateado com Tupac porque Tupac roubou uma de suas canções, “Brenda’s Got Baby”. Lil Half Dead foi espancado por alguns soldados do Tupac enquanto estava em Las Vegas. A carta também dizia: Wright teve uma reunião com gangsters e colocou uma recompensa na cabeça de Tupac. Malcolm disse que ele era o atirador que deveria matar Suge Knight. Lil Half Dead deveria matar Tupac. Citou Malcolm dizendo: Eu posso ligar para você em um número seguro e dar detalhes de roupas, carros, ruas e descrever qualquer coisa que você precise saber para provar que eu estava lá, e a noite Tupac tentou escapar, como uma putinha mijada. A carta também dizia que Malcolm deixaria uma das armas do crime nos estúdios da KTTV.

“Malcolm nunca apareceu para a reunião de Reseda, mas quando voltei para a delegacia, um segurança me disse que um jovem negro havia tentado entregar um pacote para mim na cabana do guarda. A política da empresa o proibiu de aceitá-lo. Nunca mais ouvi falar de Malcolm.

“O Informante Confidencial também me disse que Danny recebeu $100 mil dólares pelo golpe na forma de um cheque administrativo. Danny assinou o cheque. O Informante Confidencial disse que o trio da equipe de aluguel alugou um Cadillac branco pérola no Stratosphere Hotel Las Vegas e depois o abandonou em um pátio de salvamento em Baker, desmontado. Três armas foram usadas: TEC-9, .45 e uma Glock. A arma de Danny estava emperrada. Malcolm atirou duas vezes e errou o alvo. Ele também disse que Neckbone” seria morto depois porque ele sabia a identidade dos atiradores. Neckbone foi, de fato, morto em uma data posterior.

“O Informante Confidencial disse que a mãe de Danny Patton, que trabalhava como conselheira de drogas em Valley, estava “com medo de ir contra ele”. Malcolm, na época, foi libertado recentemente da prisão.

“Cerca de um ano depois, o Informante Confidencial me disse que Danny Patton queria se encontrar comigo. Posteriormente, ele e o Informante Confidencial foram até a delegacia e conversaram comigo por cerca de meia hora. O assassinato de Tupac nunca foi mencionado. Mais tarde, o Informante Confidencial me disse que Danny só queria me sentir fora.

Lil’ Half Dead já está fazendo a vida por outro assassinato.”







Manancial: Chaos Merchants

Sem comentários