DESTAQUE

COMERCIANTES DO CAOS – PARTE UM

JAMES PRINCE: A ARTE E CIÊNCIA DO RESPEITO


O conteúdo aqui traduzido foi tirado do livro The Art & Science of Respect: A Memoir by James Prince, de James Prince com Jasmine D. Waters, sem a intenção de obter fins lucrativos. — RiDuLe Killah




Por décadas, o empreendedor em série James Prince presidiu a Rap-A-Lot Records, uma das primeiras e mais bem-sucedidas gravadoras independentes de rep. Em seu livro de memórias, ele explica como ele ganhou sua reputação como um dos homens mais respeitados no hip hop. Permanecendo fiel aos seus três princípios de coração, lealdade e compromisso, e uma fé inabalável em Deus, ele derrotou muitos adversários. Seja enfrentando o ciclo sistêmico da pobreza, executivos de gravadoras, promotores de boxe ou agentes corruptos da DEA, Prince sempre saiu vitorioso. O respeito não é dado, é ganho. Ao relatar sua convincente história de vida, Prince analisa a arte e a ciência de ganhar respeito — e de respeitar — e de como aplicar esses princípios à sua própria vida.










A ARTE E CIÊNCIA DO RESPEITO:
Uma memória por James Prince








Escrito por James Prince
com Jasmine D. Waters











PREFÁCIO


RESPEITO





Eu e meus filhos Jas e Drake, a primeira vez que nós o trouxemos até Houston para acender o movimento.





Palavras por Aubrey Drake Graham







Eu sinceramente não me lembro de conhecer James Prince. Foi há anos e muita da vida aconteceu desde então. O que eu lembro é como cenas de um filme: Estar em Houston, a caminho de uma boate, escoltado por uma carreata, mares se separando em todos os lugares que fomos, ondas, apertos de mão. Todos os sinais flagrantes de respeito e admiração ou até mesmo medo, para ser honesto. Mas tudo equivalia a um homem de todos os meus filmes favoritos sobre poder, lealdade e respeito.

Minha história de Degrassi até agora tem sido bem documentada. Todo mundo já ouviu falar como Jas Prince me encontrou no Myspace, estendeu a mão, me levou para Houston e me apresentou a Lil Wayne. Mas não se falou muito sobre as coisas que testemunhei da família Prince durante esses primeiros anos naquela cidade.

Há um fio comum ao longo das minhas carreiras e muitos outros, e isso é que ninguém se torna grande por conta própria. Nem eu nem o Pops. Você sabe, Jas, Junior, Baby Jay, esses são meus irmãos, então eu o chamo de “Pops”. Ele é um homem complicado e leva tempo para aprender a lê-lo, mesmo para mim.

Ao longo dos anos, ele reforçou a importância de ser auto-contido, como criar uma equipe e como respeitar e valorizar seu apoio incondicional ao movimento que você está criando. Nossos paralelos se tornaram mais claros e claros. Numa época em que era improvável que Toronto tivesse sucesso como ex-vendedor de carros de Houston, numa época em que o rep era na East Coast ou na West Coast, aqui estamos nós dois. Ele ajudou a preparar o caminho construindo uma Terceira Costa da mesma maneira que estabelecemos o Norte.

Os desafios de criar um movimento a partir do zero são indescritíveis. Todo mundo é diferente e ninguém tem os códigos. Estamos todos sentindo nosso caminho, confiando no instinto, usando qualquer ferramenta que nos foi dada. E o que James Prince fez, do rep ao boxe, foi construir um movimento. E ele fez isso por sua cidade.










PREFÁCIO









Palavras por James Prince






Domingo, 15 de Junho de 2014. Enquanto eu estava no centro do ginásio Campbell Education Center, com meu filho Jas Prince à minha direita e Drake à minha esquerda, examinei a multidão e comecei a pensar em como cheguei aqui.

Meu amor por Houston, muito parecido com o meu relacionamento com o Hip Hop e o boxe, tem sido uma longa e tempestuosa corrida. Eu estava em uma tempestade, acabei de sair de uma tempestade, ou estava a caminho de uma tempestade, mas nenhuma arma formada contra mim prosperou.

Eu fui ensinado que você deve acreditar em algo maior que você para conseguir algo maior que você. Para mim, essa crença estava em Deus e na Fifth Ward. Ligado por Buffalo Bayou, Jensen Drive, Liberty Road e Lockwood, o quinto dos seis distritos de Houston era um antro de lobos que me levaram a liderar o bando. Minha história é familiar: uma criança criada em uma casa monoparental. Às vezes não tínhamos nada além de dinheiro de rua para manter as luzes acesas.

Nesta tarde de Domingo, durante o fim de semana de apreciação de Houston, ouvindo os aplausos da multidão, pude ouvir todas as decisões corretas e todas as erradas. Cada escolha que fiz ao longo do caminho, não importa o quão controversa, é o que me levou até aqui.

Meu trabalho começou nas ruas de Houston e cresceu para gerar a Rap-A-Lot Records, uma das gravadoras independentes mais lucrativas até hoje. Eu ajudei a desenvolver superestrelas internacionais como Drake e pugilistas campeões mundiais como Floyd Mayweather e Andre Ward. No processo de se tornar um milionário, eu também desembarquei no meio de alguns dos momentos mais marcantes da nossa cultura. Eu tentei em vão salvar Biggie, uma vítima das guerras do rep da East Coast vs. West Coast. Fui um dos primeiros a falar contra a censura racista do rep, e o governo dos Estados Unidos entrou em guerra contra mim, tentando tirar as próprias liberdades que prometia oferecer.

Mas a história de tudo – como eu fiz, por que fiz e o que acabou me custando – nunca foi dita. Até agora.

Eu viajei neste planeta muitas vezes. Eu tenho casas em várias cidades, incluindo um complexo de mil acres. Eu possuo minhas próprias ilhas privadas. Minha família é bem cuidada e tenho empregado amigos de longa data em empresas jurídicas para mantê-los fora das ruas. Mas a luz não existiria sem a escuridão e eu fiz muitos sacrifícios. É impossível construir um império dessa magnitude sem renunciar a oportunidades de negócios e sacrificar o tempo com a família e os amigos. Às vezes, é necessário cortar as pessoas.

Eu não sou um homem perfeito. Minha reputação de ser cruel, implacável e rígido me precede. Quando acredito que algo foi predito por Deus, não deixarei que nenhum homem o mantenha fora do meu alcance. Então, eu começo esta história da minha vida no espírito de como eu vivi: na honestidade brutal e sem remorso. O que segue são minhas vitórias, minhas derrotas e tudo o que aprendi no meio.

Em retrospectiva, a maioria das pessoas nunca poderia ter tomado as decisões que eu tomei, mas eu o desafio a tentar entendê-las. Tudo o que fiz, fiz pela minha família e pela Fifth Ward. Quer você seja de Houston, Chicago, Toronto ou qualquer outro lugar, há uma Fifth Ward em todas as cidades, em todos os países, em todo o mundo.






Manancial:The Art & Science of Respect: A Memoir by James Prince

Sem comentários